Programação junina anima usuários do Centro Integrado de Inclusão e Reabilitação

Programação junina anima usuários do Centro Integrado de Inclusão e Reabilitação

29 de junho de 2021 Off Por Roberta Vilanova

Performance cênica do boi bumbá foi apresentada a pacientes e funcionários

“Nunca vi coisa mais linda do que esta apresentação do Boi Bumbá”, declarou a dona de casa Luciene Araújo de Oliveira, 45 anos, que acompanha o filho adolescente Lauan Adryo, durante assistência no Centro Integrado de Inclusão e Reabilitação (CIIR). Na última segunda-feira (28), logo após o atendimento do filho, eles foram surpreendidos com a apresentação da equipe de Arte e Cultura da instituição, que fez performance cênica do Boi Bumbá em alusão às festas juninas. O cortejo inclusivo foi apresentado em português e também na Língua Brasileira de Sinais (Libras).

Para o coordenador do setor de Arte e Cultura do CIIR, o mestre em Artes, Paulo Ricardo Silva do Nascimento, ele e a equipe sempre são surpreendidos com tanto carinho dos públicos interno e externo, durante o desenvolvimento de suas ações, inclusive, a do Boi Bumbá, que teve o objetivo de proporcionar um momento especial no mês junino “A proposta é não deixar a quadra junina passar em branco em função dos desafios impostos pela pandemia de Covid-19”.

Ele agradece o carinho recebido, mesmo dos usuários que estão em espera pelo atendimento. “Muitos deles passam o dia em atendimento com vários especialistas, outros enfrentam longas viagens do interior até aqui, alguns vêm de comunidades indígenas, e não perdem a alegria, a felicidade e interagem muito com a gente. Eles prestam atenção, participam, contribuem, opinam durante a atividade, brincam com o personagem, o público responde de volta. Fica com a sensação todos melhoram de humor, ficam mais leves mais à vontade, descontraídas,  até nossos colegas de trabalho, que param por  10 a 15 minutinhos para ver a passagem da apresentação”.

Luciene Araújo faz o possível para não perder nenhuma consulta do filho Luan

E a mãe do usuário Luan foi uma das que aproveitou bastante a apresentação junina no CIIR. Residente em Benevídes, distante cerca de um hora da capital paraense,  Luciene Araújo faz o possível para não perder nenhuma consulta do filho, mas reconhece que aproveita os eventos lúdicos realizados pela gestão do CIIR. “Essa apresentação foi muito legal. Foi a melhor coisa que já vi na vida”, e o filho com paralisa cerebral também expressou sua alegria com o evento.

Cortejo – Os dois dias de programação contaram com o cortejo e uma breve encenação da história de amor entre o Boi-Bumbá e uma vaca, que acabou unindo o casal dono dos animais. Todos os protocolos de segurança para prevenção da Covid-19 foram mantidos, como uso obrigatório de máscara, oferta de álcool em gel e distanciamento entre as pessoas, já que a área é ampla e aberta.

O complexo é formado pelo Centro Especializado em Reabilitação;, além de uma oficina ortopédica para confecção e manutenção de próteses e órteses e pelo Centro de Especialidades Odontológicas.

Acesso aos serviços – Os usuários podem ter acesso aos serviços por meio de encaminhamento das Unidades de Saúde, acolhido pela Central de Regulação de cada município, que por sua vez encaminhará à regulação estadual, cujo o pedido será analisado conforme perfil do usuário, através do Sistema de Regulação.

Serviço: O CIIR funciona em um prédio na rodovia Arthur Bernardes, 1000. Mais informações: 4042-2157/58/59.

Texto: Vera Rojas/CIIR
Fotos; Divulgação