Saúde pública do Pará recebe certificações de atestado de qualidade

O trabalho do Banco de Leite da Santa Casa do Pará também contribuiu para a recertificação do hospital com o selo de Acreditado Pleno

Hospitais do Estado do Pará estão entre os que mais receberam reconhecimento da Organização Nacional de Acreditação (ONA), que concede um selo de qualidade e diz muito sobre o alcance de padrões reconhecidos nacionalmente, principalmente no que diz respeito à segurança do paciente. Centros de atendimentos médicos também ganham visibilidade de importantes entidades da área da Saúde pela excelência do tratamento oferecido.

A “Acreditação” é um método de avaliação e certificação que busca, por meio de padrões e requisitos previamente definidos, promover a qualidade e a segurança da assistência no setor de saúde. Para ser acreditada, a organização precisa comprovadamente atender aos padrões definidos pela ONA, reconhecidos internacionalmente.

Para o secretário de Estado de Saúde Pública, Rômulo Rodovalho, a certificação ratifica o empenho da Sespa em assistir à população da melhor forma. “A acreditação é um processo que busca saber se aquele corpo técnico atua de acordo com as diretrizes que buscam aumentar a qualidade, reduzir os riscos e aumentar a segurança dos pacientes. Isso mostra que estamos prestando um serviço de excelência no Estado do Pará”, reiterou o secretário.

Com 14 anos de idade, a jovem C.M.B está grávida de uma menina e frequenta a Fundação Santa Casa do Pará para consultas de rotina e monitoramento do quadro gestacional, considerado de risco e que, por isso, requer cuidados. “Da primeira vez, vim ver o bebê por causa de um descolamento (de placenta). Mesmo com alguns problemas, estou levando. Tenho que aceitar. Como sou menor de idade, e a gravidez tem alguns riscos, me encaminharam para cá. É muito legal aqui, as pessoas atendem a gente super bem”, afirmou a adolescente.

A Santa Casa foi recertificada como um hospital com o selo de Acreditado Pleno, o ONA 2. Os avaliadores do Instituto Qualisa de Gestão (IQG) fizeram a reavaliação do ONA Nível 2 da instituição e constataram que a qualidade do serviço e o cuidado com a segurança dos pacientes são prioridades na Santa Casa, que é um hospital público vinculado ao Governo do Estado.

A assessora de qualidade do hospital, enfermeira Camila Negrão, destaca que essa requalificação é um prêmio para os servidores do complexo hospitalar de referência. “É uma satisfação imensurável alcançar a Recertificação de Acreditado Pleno pela ONA. Manter os padrões de qualidade da assistência, mesmo durante o período de pandemia foi árduo, mas gratificante. Passarmos pelo processo de avaliação nesse período e ver o quanto a equipe está amadurecida e desempenhando os bons resultados de sempre é recompensante e justo”, destaca.

O próximo passo é o nível 3, que é a excelência. O objetivo é trabalhar ao longo deste ano para fazer a solicitação de avaliação até o início de 2022 – e nessa tramitação, a recertificação é um dos critérios exigidos para se dar andamento nas tratativas do hospital.

Destaque – O Centro Integrado de Inclusão e Reabilitação (CIIR) conquistou o mais alto nível da Certificação Qmentum International IQG, com selo Acreditado Diamante, que coloca a instituição paraense como a única pública no Norte e Nordeste, e uma das poucas no Brasil, com o reconhecimento pela excelência de gestão.

Após passar por avaliação do IQG, a instituição obteve a mais nova conquista do Centro de Reabilitação, simbolizando a satisfação pelo cuidado no atendimento ao usuário do Sistema Único de Saúde (SUS). O CIIR concorreu à certificação internacional na categoria Ambulatório.

A história da pequena usuária S.N.M.C., 8 anos, que há dois recebe assistência com a equipe multiprofissional do CIIR, acompanha a cronologia de evolução da gestão da organização. Com paralisia cerebral, a filha da dona de casa, Maria José da Silva Macedo, 53, chegou ao Centro de Reabilitação sem equilíbrio, não andava, não falava, não ficava em pé e não tinha movimento da mão esquerda.

“Minha filha recuperou a fala, os movimentos, e agora tem muito mais força de vontade. Ainda prosseguimos no atendimento. Agradeço a cada colaborador do CIIR pelo cuidado com a minha filha. Vocês devolveram meu sorriso, minha alegria e minha esperança na vida”, agradece.

Sobre a conquista da certificação internacional que reconhece a qualidade da assistência da Instituição, Maria José parabeniza a gestão. “Isso foi fruto da união de todos, porque o CIIR é união. O CIIR é tudo em nossas vidas”, ressaltou a dona de casa, sem deixar de estender os agradecimentos ao Governo do Estado. “Agradeço ao governador Helder Barbalho. Obrigada por não ter desistido da gente”, reconheceu.

De acordo com o coordenador do Núcleo da Qualidade e Segurança do Paciente (NQSP), o administrador e enfermeiro Leisson Pinheiro, a busca de melhoria contínua da gestão do CIIR tem como foco a segurança do paciente, por meio de uma assistência integrada ao usuário. Ele evidencia que entre os vários processos para o alcance da excelência, destacam-se o forte relacionamento com parceiros externos e comunidade, modelo de gestão voltado ao bem-estar social e a responsabilidade ambiental. “É importante ressaltar que se trata de uma construção em conjunto com a (IQG) Health Services Accreditation”, destacou.

Entre os vários processos para o alcance da excelência de gestão do Centro de Reabilitação, destacam-se o forte relacionamento com parceiros externos e comunidade; modelo de gestão voltado ao bem-estar social; e a responsabilidade ambiental.

HRBA – Após um ano desafiador e de enfrentamento à pandemia da Covid-19, o Hospital Regional do Baixo Amazonas (HRBA), em Santarém, acaba de conquistar a renovação da certificação nacional de excelência ONA em seus atendimentos.

Ao todo, foram auditados mais de dois mil requisitos internos do hospital, que confirmaram novamente o certificado ONA 3 Acreditado com Excelência. Com o título, o Hospital Regional do Baixo Amazonas permanece entre as melhores unidades de saúde do país.

Pertencente ao Governo do Pará, o HRBA busca aprimorar seus ciclos de maturidade institucional no atendimento aos usuários do SUS.

Desde março de 2020, a unidade é referência para o tratamento da Covid-19 na região Oeste do Pará. Já foram realizados mais de dois mil atendimentos relacionados aos casos suspeitos ou confirmados da doença.

Têm também a certificação ONA o Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo, o Hospital Regional de Barcarena, o Hospital Regional Público da Transamazônica, o Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE), Hospital Regional Público do Leste (HRPL), o Hospital Regional Público do Marajó (HRPM), o Hospital Galileu e o Hospital Regional do Sudeste do Pará.

Texto: Carol Menezes/Secom

Foto: Pedro Guerreiro/Ag. Pará

Você pode gostar...