Sespa chama a atenção para a importância de vacinar os idosos contra a Covid-19

A Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), por meio da Coordenação Estadual de Saúde do Idoso, chama a atenção das famílias paraenses sobre a importância de vacinar os seus idosos contra a Covid-19.

Segundo o coordenador estadual de Saúde do Idoso, Amujacy Vilhena, os idosos fazem parte do grupo prioritário porque a pessoa com mais de 60 anos corre maior risco de contrair infecções e complicações causadas pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2). “Além disso, segundo pesquisas realizadas desde o início da pandemia, essa faixa etária é a que mais tem evoluído para óbito pela Covid-19 no mundo”.

Amujacy Vilhena alerta que a sociedade não deve dar ouvidos às falsas notícias que circulam nas redes sociais causando dúvidas e medo à população. Ele garante que as vacinas são seguras, passaram por pesquisas e foram aprovadas pelas autoridades sanitárias. “Quando se vacina um idoso, protege-se a sua família e também a comunidade onde vive”, enfatizou.

Ele explicou, no entanto, que para que a proteção funcione é necessário tomar as duas doses da vacina respeitando o intervalo específico entre elas determinado pelo fabricante. “Duas doses são necessárias porque o organismo demora a criar anticorpos para combater o vírus”, disse o coordenador estadual.

A vacina não garante 100% de proteção, mas evita os casos graves e reduz os óbitos, assim como ocorre com a vacina da gripe e que os idosos já estão acostumados a tomar anualmente. “Portanto, vacinar os seus idosos é a melhor atitude e demonstração de amor que uma família pode dar ao ente querido neste momento, pois muitos não tiveram essa oportunidade”, disse Amujacy Vilhena.

Outro alerta importante é que a vacina ainda não dispensa o uso de máscaras e higienização das mãos com água e sabão ou álcool em gel e distanciamento social contra a Covid-19. “Pois ainda vai demorar para que toda a população esteja vacinada e possa voltar de fato à normalidade”, comentou.

Antônio Ribeiro, 79 anos

Finalmente, Amujacy Vilhena informou que o idoso deve ser vacinado mesmo que já tenha tido Covid-19. Só não deve ser vacinado quem teve febre nas últimas 24 horas.

Ele lembrou, ainda, que os idosos com dificuldade de locomoção, ou seja, com deficiência, mobilidade limitada ou que estejam acamados podem receber a vacina em domicílio. Para isso, a família deve entrar em contato com a Secretaria Municipal de Saúde da sua cidade.

Todas essas informações estão sendo divulgadas em cards para circularem nas redes sociais e numa cartilha digital para orientar a população.

Plano Estadual de Vacinação – O estado do Pará ainda está na primeira fase do Plano Estadual de Vacinação, na qual estão inseridos os trabalhadores em saúde, indígenas, idosos institucionalizados e idosos de 60 anos e mais.

De acordo com o Vacinômetro, até esta quinta-feira (25), foram vacinados com a 1ª dose da vacina, 4.832 idosos institucionalizados, 18.679 idosos entre 60 e 69 anos (Região Metropolitana) e 171.264 idosos com 70 anos e mais. Com a 2ª dose, foram vacinados 1.735 idosos institucionalizados e 28.384 idosos com 70 anos e mais.

Serviço: para saber quando o idoso deve receber a vacina, a família deve ficar atenta ao chamamento para a vacina no seu município. Acesse a cartilha no link a seguir: Cartilha-Vacinação do Idoso

Texto: Roberta Vilanova/Sespa

Fotos: Bruno Cecim/Ag. Pará e Nailana Thiely/Uepa

Você pode gostar...