Sespa cria cartilha de acolhimento aos coordenadores municipais de saúde bucal

Para auxiliar os novos gestores das secretarias municipais de Saúde na organização da gestão em Saúde Bucal, a Secretaria de Estado de Saúde Pública do Pará (Sespa), por meio da Coordenação Estadual de Saúde Bucal, criou uma cartilha de acolhimento aos coordenadores municipais, visando reduzir os índices de cárie, doença periodontal, câncer bucal e fluorose em todas as faixas etárias da população paraense.

A medida é fundamental para que os municípios saibam organizar as linhas do cuidado bucal, incluindo criança, adolescente, mulher grávida, adulto e idoso, com a criação de fluxos e ações centradas no acolher, informar, atender e encaminhar os usuários para os serviços disponíveis do Estado e do Município.

Alessandra Amaral de Souza, coordenadora Estadual de Saúde Bucal, explica que a cartilha foi pensada para orientar o trabalho dos coordenadores municipais e, assim, ampliar o atendimento à população.

“A cartilha de acolhimento aos coordenadores de saúde bucal servirá como um instrumento para que eles possam desenvolver, de uma forma mais eficaz, seus projetos e assim, ampliar o atendimento à saúde bucal em todos os municípios do estado do Pará. Queremos a Saúde Bucal estadual sempre presente nos 144 municípios e escrevendo uma nova história da odontologia para cada paraense”, destacou.

A prioridade do Governo do Pará, por meio da Coordenação Estadual de Saúde Bucal, é ampliar o acesso da população às ações preventivas e educativas, e aos serviços especializados de saúde bucal, além de garantir a qualidade do atendimento aos pacientes.

CARTILHA – A cartilha de acolhimento vai conter todas as informações dos fluxos com o Estado e com o Ministério da Saúde, para que os municípios saibam como promover a política pública de Saúde Bucal e acessar os recursos para as ações.

O documento é um instrumento facilitador para a Coordenação Estadual de Saúde Bucal exercer sua função de assessorar gestores e técnicos, estimular a implantação das Equipes de Saúde Bucal (ESB) e monitorar os municípios do Pará na organização da gestão em saúde bucal, na vigilância das condições de saúde para a realização de ações de promoção, prevenção, recuperação e manutenção da saúde, visando reduzir os índices de cárie, doença periodontal, câncer bucal e fluorose em todas as faixas etárias.

Apesar da Atenção Primária em Saúde estar sob a responsabilidade dos municípios, cabe à Coordenação Estadual monitorar os serviços de saúde bucal junto com os Centros Regionais de Saúde, além de assessorar e monitorar equipes de saúde bucal na Estratégia Saúde da Família, nas Unidades Odontológicas Móveis, Centros de Especialidades Odontológicas (CEOs) e Laboratórios Regionais de Prótese Dentária (LRPDs).

A Sespa incentivará as gestões municipais com doações de consultórios odontológicos para os municípios que mais avançarem em políticas públicas voltadas à saúde bucal, e investirá na implantação de CEOs, LRPDs e ESBs.

A cartilha será entregue digitalmente para os coordenadores municipais durante reunião de lançamento e divulgação. Para ter acesso ao documento é só clicar aqui.

Texto: Melina Marcelino /Sespa

Arte: Daniella Eguchi/Sespa

Você pode gostar...