TerSaúde muda perfil e realiza cerca de 400 atendimentos de casos leves e moderados de Covid-19

Cerca de 400 atendimentos médicos de casos leves e moderados de Covid-19 foram realizados nos bairros do Icuí, Jurunas, Cabanagem e Guamá neste final de semana pelo TerSaúde, ação do Programa Territórios Pela Paz (TerPaz). Com o objetivo de descentralizar esses atendimentos na Região Metropolitana de Belém (RMB), o Governo do Pará mudou o perfil do TerSaúde, que passa a reforçar, aos finais de semana, o combate ao novo coronavírus.

“Neste momento, estamos priorizando as estratégias para tentar conter os casos de Covid-19 principalmente na RMB, por isso ações como o TerSaúde e o atendimento exclusivo da doença na Policlínica Metropolitana são tão importantes. Nossa intenção é levar atendimento de qualidade e estar mais próximos da população neste momento, por isso estamos sempre atentos ao cenário da doença no Estado”, explica o titular da Sespa, Rômulo Rodovalho.

No sábado (6), foram realizados 81 atendimentos médicos e de enfermagem no Icuí e 107 no Jurunas. No domingo (7), 102 atendimentos foram feitos na Cabanagem e 109 no bairro do Guamá. Ao todo, foram realizados 200 exames PCR.

O Governo disponibiliza atendimentos das policlínicas itinerantes para casos leves e moderados de Covid-19 no Núcleo de Esporte e Lazer (NEL), Hangar, Mangueirinho e, desde sábado, também na Policlínica Metropolitana, além dos serviços itinerantes do TerSaúde, aos finais de semana, nos bairros do TerPaz – Guamá,  Jurunas, Terra Firme, Benguí, Cabanagem, Icuí (em Ananindeua), Nova União e São Francisco (Marituba) – de forma alternada.

A coordenadora da Sespa no Terpaz, Alessandra Amaral, ressalta que os serviços da Policlínica Itinerante também estão em Mosqueiro desde o último sábado e vão permanecer até esta segunda-feira (8).

“É importante frisar que a população deve continuar mantendo todos os cuidados de distanciamento social, evitar aglomerações, usar máscara, lavar as mãos, usar álcool em gel. Tudo isso é muito importante nesse momento para que a gente possa vencer essa doença aqui no nosso Estado”, reforça a coordenadora.

Para receber atendimento nas policlínicas itinerantes, o paciente deve levar um documento de identificação ou o cartão SUS. Ele passa pela triagem, consultas médicas e de enfermagem, exames complementares, caso necessário, e recebe medicação, de acordo com a prescrição médica, para continuar o tratamento em casa.

Quem sentir sintomas como tosse, perda de olfato e paladar, dor de garganta, febre e coriza deve procurar imediatamente atendimento para evitar agravamentos. Casos graves devem procurar diretamente as Unidades de Pronto Atendimento e os Prontos Socorros.

Texto: Giovanna Abreu/Secom

Foto: Alex Ribeiro/Ag. Pará

Você pode gostar...