Estado garante mais 500 cilindros de oxigênio para municípios da Calha Norte e Tapajós

Governador Helder Barbalho em agenda de trabalho no Oeste paraense, região que receberá novos cilindros de oxigênio

O Governo do Pará receberá 500 cilindros de oxigênio até a próxima sexta-feira (29), adquiridos da empresa Oeste Gás, que representa a multinacional de produção de fabricação de gases industriais e medicinais White Martins. O primeiro carregamento desembarcará às 3 h da madrugada desta terça-feira (26), no Aeroporto de Santarém, e o restante até o fim da semana. Todos serão encaminhados aos municípios das regiões de Integração Baixo Amazonas e Tapajós, que enfrentam dificuldades para garantir oxigênio aos pacientes de Covid-19 e em outras condições hospitalares.

O governador Helder Barbalho informou que vai acompanhar o envio dos cilindros. “Estarei amanhã (terça-feira, 26) no Oeste do Pará, onde faremos a distribuição das unidades de oxigênio para municípios da Calha Norte. Além disso, estarei vistoriando a instalação do Hospital de Campanha no município de Santarém para atender a região, e debatendo a consolidação de um laboratório voltado às pesquisas necessárias de identificação viral, em parceria com a Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa) e com o Hospital Regional do Baixo Amazonas (HRBA)”, anunciou o chefe do Executivo.

Autossuficiência – De acordo com o secretário adjunto de Saúde Pública, Sipriano Ferraz, a encomenda irá suprir a necessidade de cilindros necessários para o armazenamento do insumo, tão primordial na rede hospitalar. Ele explicou que o Estado é autossuficiente na produção de oxigênio, mas possui poucos tambores para conservação do gás. “Com essa entrega, cilindros não serão mais problema. Enquanto uns estão em utilização, outros seguem para serem reabastecidos, e assim por diante”, informou. Os cilindros já poderão ser utilizados logo após a entrega aos hospitais.

Na última terça-feira (19), o governo do Estado encaminhou caminhões contendo 159 cilindros de oxigênio para Santarém. De lá, eles foram distribuídos para os municípios de Oriximiná (79), Terra Santa (30), Faro (20) e Juruti (30), em caráter preventivo.

“Os cilindros chegam no momento certo, pois os municípios precisam deste apoio. Graças à articulação da Sespa, por determinação do governador, estamos fazendo esse contato com os fornecedores para que não falte oxigênio nesses municípios. É um trabalho importante e essencial para que não falte esse item, e possamos, assim, combater a pandemia de Covid-19”, ressaltou o secretário de governo Regional do Oeste do Pará, Henderson Pinto.

Alerta às prefeituras – Hoje, o Pará possui capacidade de produção de oxigênio superior a 58 mil metros cúbicos diários, o que atende à totalidade das demandas dos 144 municípios, inclusive com disponibilidade para apoiar os estados do Amapá e Maranhão. Para garantir essa estabilidade, a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) emitiu alerta às secretarias municipais, em especial nas regiões onde houve mudança de bandeiramento, como é o caso do Baixo Amazonas, para que fiquem atentas ao monitoramento e abastecimento dos hospitais, a fim de evitar baixas e falta de um insumo essencial à manutenção da vida.

Com a municipalização da gestão da Saúde, cada prefeitura é responsável pela manutenção de contratos e aquisição do produto para abastecimento local, cabendo à gestão estadual a compra e o abastecimento de oxigênio para hospitais estaduais.

Texto: Carol Menezes/Secom

Foto: Marco Santos/Ag. Pará

Você pode gostar...