Gestantes e puérperas precisam redobrar os cuidados para evitar a infecção pelo coronavírus

Foto: Ascom/Seap.

Durante a pandemia, a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) recomenda que grávidas e puérperas – que tiveram filhos nos últimos 45 dias – devem continuar a praticar o isolamento social, ou seja, permanecer o maior tempo possível em casa, evitar contato com pessoas doentes, ir ao pronto atendimento quando for realmente necessário e lavar as mãos com frequência.

Esses cuidados já fazem parte de uma série de recomendações da Coordenação de Saúde da Mulher da Sespa, em função das grávidas e puérperas serem mais vulneráveis à infecção pelo coronavírus, tal como os idosos e pessoas com comorbidades, que apresentavam elevados índices de letalidade. Esses grupos fazem parte do grupo de risco que tem maior risco de sofrer complicações da covid-19.

Além disso, a inclusão dessas mulheres levou em consideração a ação de outros coronavírus e vírus gripais já conhecidos e estudados, como o influenza. Em 2020, a recomendação do Ministério da Saúde às Secretarias Estaduais de Saúde já mostrava esse posicionamento, igualmente reforçado pela coordenadora de Saúde da Mulher da Sespa, Nicole Vieira. “A gestação e o puerpério são condições que reduzem a imunidade da mulher. Por esse motivo, estão nos grupos de risco do vírus da gripe”, explica.

Estudos científicos apontam que a fisiopatologia do vírus H1N1 pode apresentar letalidade nesses grupos associados à história clínica de comorbidades dessas mulheres. Sendo assim, para a infecção pela covid-19 o risco é semelhante pelos mesmos motivos fisiológicos, embora ainda não tenha estudo específico conclusivo. “Portanto, os cuidados com gestantes e puérperas devem ser rigorosos e contínuos, independentemente do histórico clínico das pacientes”, afirma Nicolli.

A prevenção da Covid-19 em gestantes e puérperas baseia-se em isolamentos de casos confirmados e distanciamento social para os contatos, uso de máscaras e práticas de higiene, incluindo etiqueta respiratória e lavagem correta das mãos com água e sabão ou álcool 70%.

As práticas de higiene e a correta utilização das máscaras e demais equipamentos de proteção individual (EPI) devem ser observadas. Para prevenção da Covid-19 deve ser reforçado que as gestantes e seus acompanhantes respeitem o uso constante de máscara, redobrem os cuidados de higiene e mantenham o distanciamento recomendado em todos os locais de atendimento (pré-natal, UBS, pronto-socorro, enfermaria etc.).

Para os profissionais da saúde, além da higiene das mãos, a pasta recomenda a proteção com máscara cirúrgica dentro do ambiente assistencial e hospitalar; N95/PFF2 em momentos de maior risco de produção de aerossóis, e proteção dos olhos com óculos protetores ou face shields (protetor facial) quando em procedimentos.

De qualquer maneira, a Sespa ressalta que as precauções para gestantes e puerpérias evitarem a infecção pelo coronavírus seguem os mesmos protocolos recomendados à população, com alguns itens a mais. Assim, caso esteja grávida ou em fase de amamentação, atente aos seguintes cuidados:

 

* Continue seguindo sua rotina de acompanhamento médico;

* Utilize máscara de tecido ou descartável se precisar sair de casa;

* Vacine-se contra a gripe;

* Mantenha a rotina de amamentação;

* Lave sempre as mãos com álcool gel ou água e sabão, principalmente antes de tocar seu bebê, e mantenha superfícies e objetos limpos e desinfetados;

* Evite receber visitas neste momento;

* Se tiver febre, tosse ou dificuldade para respirar, procure assistência médica imediatamente.

 

Você pode gostar...