Governador alerta prefeitos do Baixo Amazonas sobre necessidade de mais restrições na região

O governador Helder Barbalho (d) reiterou aos prefeitos a necessidade de medidas mais rigorosas para conter a segunda onda da Covid-19

O governador Helder Barbalho se reuniu nesta quinta-feira (21), por videoconferência, com os prefeitos da região do Baixo Amazonas para tratar sobre a segunda onda da Covid-19 no oeste paraense. O chefe do Executivo reforçou a importância de os gestores municipais decretarem medidas mais restritivas em seus municípios, para que a situação não saia de controle, como já foi feito pelo governo do Estado.

“Ao verificar in loco a realidade dos municípios na divisa com o Amazonas, eu não tenho nenhuma dúvida de que estamos vivendo aqui nesta região uma segunda onda de contágio, e isto requer atenção, estado de alerta, e acima de tudo responsabilidade, para que nós possamos proteger a população. Na semana passada, mudamos o bandeiramento desta região, e fizemos com que estivéssemos em um estágio de alto risco, o bandeiramento vermelho. Peço a todos os prefeitos, e disse isto na conferência que fizemos há pouco, que todos possam, no âmbito municipal, replicar, fazer os decretos municipais, fazer constar e valer junto com a estrutura do Estado o convencimento da sociedade, de que isto é um ato necessário para proteger a nossa população”, reforçou o governador.

Helder Barbalho, o prefeito Nélio Aguiar e gestores de governo na região do Baixo Amazonas

Com o objetivo de dialogar com os gestores desses municípios, Helder Barbalho ressaltou o trabalho que vem sendo feito pelo governo do Estado, a visita que fez aos municípios de Faro, Terra Santa e Oriximiná nesta quinta-feira e a importância de as prefeituras precisarem de planejamento, para que o sistema de saúde não entre em colapso. “As medidas são um ato necessário para proteger a nossa população, para que o nosso sistema de saúde possa salvaguardar a vida, para que nós possamos garantir a oferta de leitos, oferta de serviços e atendimento. Porém, nós não devemos menosprezar os riscos e, consequentemente, assistir aqui às cenas que vimos no estado vizinho, o Amazonas. Por isso, prevenção, responsabilidade, consciência! A sociedade precisa ajudar, e todos nós precisamos estar unidos nessas medidas pra proteger a população”, reiterou o governador.

Suporte – O secretário Regional de Governo do Baixo Amazonas, Henderson Pinto, disse que o momento é difícil, e exige a compreensão de todos. Ele também reforçou que o governo, por meio da Secretaria Regional, está à disposição dos municípios da região para dar todo o suporte, e que os esforços estão sendo feitos para que a situação seja estabilizada.

“A Secretaria Regional de Governo está à disposição dos municípios. Estamos tomando as devidas providências, para que juntos possamos vencer a pandemia da Covid-19. Ampliamos o número de UTIs na nossa região. Hoje são 90 UTIs e, a partir de amanhã, nós teremos mais 20 na região. Aumentamos o número de aeronaves com serviço aeromédico. Estamos garantindo junto aos fornecedores de oxigênio que mantenham os contratos com os municípios, para que não falte oxigênio neste momento, além de apoio com equipamentos de proteção individual (EPIs) e medicamentos”, informou o secretário regional.

Na reunião, o prefeito de Santarém, Nélio Aguiar, agradeceu o apoio do governo do Estado aos municípios da região, e disse que “algumas medidas de restrição já foram adotadas aqui no nosso município, com orientação do Estado, e isso tem sido fundamental. Além do suporte que estamos recebendo, como a ampliação de leitos”.

Também participaram da videoconferência o prefeito de Faro, Paulo Carvalho; o prefeito de Mojuí dos Campos, Marco Antônio; o secretário de Saúde de Mojuí dos Campos, Glayton Carvalho; o prefeito de Alenquer, Tom Farias; o vice-prefeito de Oriximiná, Argemiro Diniz; a prefeita de Almeirim, Lúcia do Líder; o prefeito de Curuá, Givanilson Picanço; Alberto Pingarilho, da Secretaria Municipal de Saúde de Prainha; Jardel Vasconcelos, prefeito de Monte Alegre; o coordenador do Núcleo de Relações com os Municípios, Josenir Nascimento, e o secretário adjunto de Saúde Pública, Sipriano Ferraz.

Planejamento – No último dia 19 (terça-feira), Helder Barbalho participou de reunião remota com os prefeitos dos municípios localizados na divisa com o Estado do Amazonas, para tratar sobre o abastecimento de oxigênio e a abertura de leitos na região.

Nesta primeira reunião, o governador ressaltou que os gestores municipais devem ter planejamento para garantir equipes médicas e insumos, e reafirmou que o governo do Estado está à disposição para ajudar, mas que cada município precisa fazer sua parte.

Visita de governo – Na quarta-feira (20), o secretário de Governo do Baixo Amazonas, Henderson Pinto, e o secretário adjunto Sipriano Ferraz acompanharam nos municípios de Faro e Oriximiná a situação da doença, verificando como o Estado poderia atuar nesses municípios.

Em Faro, a comitiva do governo acompanhou o atendimento no Barco Hospital Papa Francisco, financiado pelo Estado, que atracou no Porto da comunidade de Maracanã para atender pacientes com sintomas leves e moderados de Covid-19. Em Oriximiná, a equipe visitou o Hospital Municipal. Para atender às demandas, o governo ofereceu o serviço de transporte aeromédico e doou equipamentos para o Hospital Municipal, como bombas de infusão para auxiliar no tratamento dos pacientes que precisam de respiradores.

Usina de oxigênio – O Governo do Pará conseguiu o apoio do Ministério da Defesa para transportar equipamentos para a montagem de uma usina de oxigênio, a fim de garantir a produção do insumo.

O traslado foi feito por um avião da Força Aérea Brasileira (FAB), que saiu de Curitiba (PR), no sul do Brasil, para Oriximiná, no oeste paraense. O equipamento já começou a ser montado nesta quinta-feira. A expectativa é que a instalação seja concluída em até 12 horas.

Texto: Ana Thaynara/Secom

Fotos: Marco Santos/Ag. Pará

Você pode gostar...