Governo amplia leitos de UTI e clínicos em Hospital Regional de Castanhal

O Governo do Estado, por meio da Secretaria estadual de Saúde (Sespa), quer ampliar, até o próximo domingo (7), o número de leitos no Hospital Regional de Castanhal, reaberto desde o sábado, 27 de fevereiro, para o atendimento exclusivo de pacientes com Covid-19.

A reativação da Unidade reforçará a estrutura de atendimento montada pelo Governo do Estado na região nordeste, e passará a ser referência na cobertura de pacientes, principalmente, das unidades regionais de Castanhal, Capanema e São Miguel do Guamá.

A Sespa frisa que o Hospital Regional de Castanhal não realiza atendimentos de urgência, nem funciona no conceito de “portas abertas”, portanto, os pacientes com Covid-19, só terão entrada no HRC se estiverem regulados pela central estadual de leitos, a partir de pedidos das secretarias municipais de Saúde.

Atualmente a unidade conta com 10 leitos de UTI e 15 clínicos, com ocupação de 45% e 43,3%, respectivamente. Segundo o diretor do Hospital Regional de Castanhal, Pedro Anaisse, novos leitos serão implementados na unidade.

“Até o próximo domingo (7) teremos mais leitos, totalizando 20 leitos de UTI e 30 clínicos, 50 leitos ao todo. A secretaria estadual está atenta para a possibilidade de ampliar ainda mais caso seja necessário. Apesar de a situação ser preocupante, nós estamos trabalhando juntos, no sentido de prover uma melhor estrutura para atender a necessidade dos casos”, afirmou o diretor Pedro Anaisse.

“Essa é mais uma estratégia que está sendo adotada pela Secretaria de Saúde, preventivamente, colocando mais leitos à disposição na rede. Caso haja necessidade, nós já estamos com a retaguarda toda montada para o atendimento da Covid-19. Então, o Regional de Castanhal é um suporte, não só para a região nordeste, mas também retaguarda para Belém”, reforçou o secretario estadual de Saúde, Rômulo Rodovalho.

Ainda neste semestre, o Hospital Regional de Castanhal deve iniciar os atendimentos para Oncologia e Ortopedia, ambos também serão referenciados pela Central de Regulação do Estado. A unidade realizará cirurgias de alta complexidade e terá capacidade para 650 internações hospitalares mensais, além de 5 mil diagnósticos e 11 mil consultas nas duas especialidades para o atendimento de pacientes de Castanhal e outros 20 municípios próximos das terceira, quarta e quinta regionais de saúde.

Texto: Raiana Coelho/Secom

Você pode gostar...