Governo do Estado entrega homenagem a profissionais de saúde que empurraram maca com paciente na Transamazônica

Formada há pouco mais de um ano pela Universidade Estadual do Pará (Uepa), a enfermeira Rebeka Fonseca, de 24 anos, protagonizou uma cena marcante na rodovia BR-163, no Pará. Ela é a profissional de saúde que aparece em um vídeo que viralizou na internet. Na cena, ela empurra a maca onde estava uma paciente com Covid-19 pela via.

Nas imagens, Rebeka aparece junto a paciente na maca, encobertas pela poeira da Transamazônica. A profissional de saúde, que trabalha no Hospital Municipal de Rurópolis, estava em uma ambulância transferindo a paciente para o Hospital Regional do Tapajós, em Itaituba, quando precisou caminhar para chegar até a balsa que faz o transporte para cidade, por conta de um congestionamento de caminhões próximo ao porto de Miritituba que impediria a chegada dela com tempo no hospital. Com a ajuda do motorista da ambulância, Rebeka percorreu cerca de dois quilômetros empurrando a maca da paciente.

“Estava dentro da ambulância, não tinha como ver o que estava acontecendo. Eu sempre acompanho o paciente lá atrás dando a assistência. Vi que estavam passando muitos caminhões do nosso lado e eu não estava entendendo o que estava acontecendo, então, quando o motorista parou e me falou da situação, tivemos que agir”, conta a enfermeira.

Rebeka contou que ela e o motorista precisaram fazer uma escolha: salvar a vida da paciente. “Não tínhamos previsão de quando aqueles caminhões iam sair da via. Ela estava no oxigênio e achamos que não ia dar. Decidimos juntos que iríamos a pé. Comunicamos a paciente, ela aceitou e tentamos passar. Caminhamos um bom percurso ali, carregando a maca, tivemos o apoio dos caminhoneiros na hora de sair da estrada, pois estava totalmente fechada e não tínhamos como passar nem com a maca, tivemos que descer e ir pela lateral da estrada. Em certo momento a via ficou mais liberada, foi quando a gente conseguiu chegar do outro lado, até a outra ambulância”, completou Rebeka.

Por conta deste ato, na tarde desta quinta-feira (18), a enfermeira e o motorista Wadson Diniz Pereira receberam a comenda Mérito Grão Pará, grau cavaleiro, das mãos do governador Helder Barbalho, uma forma de reconhecimento pelo trabalho realizado não só por eles dois, mas por todos os profissionais de saúde que atuam na linha de frente durante a pandemia de Covid-19.

“Gostaria de parabenizá-los pelo trabalho e pela coragem de vocês. O Estado se sente honrado em ter profissionais como vocês atuando em prol da sociedade. E é por isso que estamos homenageando vocês com uma das medalhas mais importantes do Estado. Isso representa um reconhecimento do esforço e trabalho de todos os profissionais de saúde”, ponderou Helder Barbalho.

Para os homenageados, poder receber esta comenda é sinônimo de trabalho e esforço recompensado. O sentimento é de gratidão. “Se todos os trabalhadores, assim como nós, trabalhassem com amor pelo próximo, teriam tido essa mesma atitude. Isso é um reconhecimento pelo trabalho. Estou sem palavras”, disse o motorista Wadson Diniz.

“Nunca pensei que nossa imagem ia circular por todo o Brasil. Fico muito honrada porque tenho um ano de enfermeira, um ano que saí da UEPA, um ano que estou nessa pandemia, praticamente. Estou um ano sem ver minha família, eles estão muito orgulhosos de mim. É muito importante ter esse reconhecimento”, finalizou a enfermeira Rebeka.

Texto: Ana Thaynara/Secom

Fotos: Pedro Guerreiro/Ag. Pará

Você pode gostar...