Hospital Galileu reforça a necessidade da terapia ocupacional para processos de reabilitação

A atuação de um terapeuta ocupacional após um trauma ortopédico pode acelerar o processo de reabilitação. Em Belém, o Hospital Público Estadual Galileu (HPEG) tem atuado para oferecer esse serviço à população, mesmo após a alta médica dos pacientes.

“A terapia ocupacional é um diferencial oferecido pelo Hospital Galileu. Aqueles pacientes que não conseguem o tratamento após a alta, recebem o tratamento completo na própria unidade, com duas sessões semanais”, explica Danielle Ferreira, terapeuta ocupacional do HPEG.

Mantido pelo Governo do Estado, o HPGE assegura a terapia ocupacional integrada ao serviço ambulatorial desde 2017. A TO faz parte do protocolo de atendimento aos pacientes que sofreram fraturas nos membros superiores. “Na maioria dos casos, atendemos pacientes que apresentam fraqueza nos membros e, por isso, ficam com a mobilidade reduzida”, acrescenta a terapeuta.

Izaurina Dias, de 76 anos, sofreu uma fratura no braço direito há alguns anos. Por conta do trauma, a mobilidade do membro ficou reduzida. “Antes do tratamento, não conseguia mexer os dedos da mão machucada. Com os exercícios, hoje já consigo”, disse ela.

A terapeuta ocupacional do HPEG, Danielle explica, ainda, a importância de seguir o tratamento pelo tempo correto. “É comum que após a fratura o paciente apresente uma certa rigidez no membro. Por isso não consegue se vestir, escrever e realizar outras práticas diárias. Ao longo do tratamento, que costuma durar três meses, trabalhamos exercícios que possam devolver esses movimentos”.

Após um acidente de moto, em março de 2020, Judith Lisboa apresentou redução na mobilidade das duas mãos. Passou por uma cirurgia e logo iniciou a terapia. “Não mexia o meu punho esquerdo, não conseguia fechar e nem pegar as coisas. Me sinto melhor e sou muito grata ao tratamento”, ressalta Judith.

A terapia ocupacional é responsável por promover a saúde e bem-estar de pessoas com problemas físicos, sensoriais, sociais e motores. A intervenção consiste em estimular a participação do paciente ao longo do processo terapêutico com o intuito de auxiliar os indivíduos na recuperação das suas capacidades funcionais e sociais.

Em 2020, a terapia ocupacional do HPEG realizou mais de 2 mil atendimentos. Atualmente, 18 pacientes integram o tratamento ambulatorial. A unidade hospitalar, localizada em Belém.

Texto: Rafaela Palmieri/HPEG

Você pode gostar...