Hospital Regional do Baixo Tocantins, em Abaetetuba, realiza primeiro atendimento em ortopedia

Nesta segunda-feira, 10, o Hospital Regional do Baixo Tocantins – Santa Rosa, em Abaetetuba, iniciou o atendimento de portas abertas para casos de baixa e média complexidade em ortopedia. A unidade agora se torna referência para moradores dos municípios de Abaetetuba, Cametá, Moju, Igarapé-Miri, Baião, Mocajuba, Barcarena, Oeiras do Pará, Acará, Tailândia e Limoeiro do Ajuru.

O primeiro paciente a receber atendimento da especialidade foi Mayco Soares, 30 anos, morador de Abaetetuba, que sofreu um acidente de moto no último sábado (8) e fraturou a clavícula. A irmã dele, Jheniffe Soares, conta que a família está aliviada, pois aguardava transferência do Mayco para um leito em Belém, quando souberam que o HRBT Santa Rosa faria o atendimento.

“O primeiro atendimento foi excelente, meu irmão foi muito bem assistido. Agora, a equipe médica está fazendo todos os exames, para que então ele possa realizar a cirurgia. A unidade é nota 10, sem contar que não precisamos ir para outra cidade mais distante”, conta Jheniffe Soares.

De acordo com Rômulo Rodovalho, titular da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), “tão logo adotou o perfil de portas abertas para casos de ortopedia, o Hospital Regional do Baixo Tocantins já realizou os primeiros atendimentos na área, inclusive com encaminhamento para cirurgias. Isso mostra como o hospital já se tornou referência para os pacientes da região que precisam dessa especialidade médica, diminuindo assim as transferências dessas pessoas para outras unidades”.

Atendimentos – O atendimento de portas abertas para ortopedia do HRBT Santa Rosa contará com dois médicos ortopedistas de plantão que farão o pronto-atendimento, de urgência e emergência, assim como as cirurgias. Serão realizadas até 100 consultas diárias e 200 cirurgias por mês.

Na Unidade de Abaetetuba, o paciente que precisar desse tipo de atendimento não necessitará de encaminhamento prévio pelo sistema de regulação do Estado. O serviço será voltado apenas para os casos de média e baixa complexidade, sendo os mais graves, como grandes traumas, perda da consciência, fortes baques na cabeça ou suspeita de fratura para a coluna, encaminhados ao Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência, em Ananindeua.

“Essa medida visa atender uma necessidade histórica dessa região, que registra altos índices de acidentes automobilísticos. Nossa intenção é diminuir as transferências dos pacientes para outras localidades e ter outras unidades hospitalares referências em atendimento ortopédico em todo o Estado”, complementa o secretário de Saúde Pública, Rômulo Rodovalho.

Ampliação – Com a melhora dos índices da Covid-19 no Estado, a Sespa está retomando projetos importantes, um deles é implementar portas abertas na especialidade ortopedia por todo o Pará.

Em janeiro deste ano, o Hospital Regional do Tapajós (HRT), em Itaituba, no sudoeste do Pará, iniciou o atendimento em traumatologia pelo regime de porta aberta para casos graves e não graves. Já em fevereiro, o atendimento de ortopedia foi iniciado no Hospital Divina Providência, em Marituba, que tem capacidade para realizar até 300 cirurgias por mês.

Voltada à população da região de integração do Araguaia, o serviço de porta aberta 24 horas em traumatologia passou a ser feito também pelo Hospital Regional de Conceição do Araguaia, enquanto casos mais complexos seguem encaminhados ao Hospital Regional de Redenção. A mudança também repercutiu na ampliação de 15 para 30 leitos em traumatologia e na disponibilidade de duas equipes ortopédicas na Unidade de Conceição do Araguaia.

Texto: Rodrigo Reis/Emater

Você pode gostar...