Hospital Regional do Baixo Tocantins realiza mais de 30 cirurgias em 10 dias

O Hospital Regional do Baixo Tocantins – Santa Rosa, em Abaetetuba, atingiu na quinta-feira (20), a marca de 32 cirurgias ortopédicas realizadas. A unidade iniciou o atendimento de portas abertas para casos de baixa e média complexidade em ortopedia, no dia 10 de maio.

Com uma média de três cirurgias por dia, com previsão de aumento, o Regional do Baixo Tocantins é atualmente, referência para moradores dos municípios de Abaetetuba, Cametá, Moju, Igarapé-Miri, Baião, Mocajuba, Barcarena, Oeiras do Pará, Acará, Tailândia e Limoeiro do Ajuru.

A Diretora Geral do Hospital Regional do Baixo Tocantins – Santa Rosa, Sara Brito de Castro analisa esse número alto de atendimentos como um marco positivo para toda a Região do Baixo Tocantins. “Hoje, conseguimos dar andamento a um grande ciclo que toda a população almejava e assim esperamos poder levar de forma segura toda a assistência humanizada à população, fazendo assim um serviço ainda mais completo, esperando elevar mais nossos índices de satisfação”.

O atendimento de portas abertas para ortopedia do HRBT Santa Rosa contará com dois médicos ortopedistas de plantão que farão o pronto-atendimento, de urgência e emergência, assim como as cirurgias. Estão sendo realizadas até 100 consultas diárias e a previsão de 200 cirurgias por mês, dentre elas: Fratura de Fêmur; Redução de Punho Incruenta; Fratura de Extremidade Distal do Braço; Fratura de Punho; Tenorrafia; Fratura de Antebraço; Fratura de Plano Tibial; Fratura da Ulna; Redução Inerruina de Ombro; Fratura de Tornozelo; Redução incruenta de Fratura de Fêmur; Fratura exposta de Hálux; Fratura de Ombro; Fratura exposta em Pé; Fratura de Rádio.

Na Unidade de Abaetetuba, o paciente que precisar desse tipo de atendimento não necessitará de encaminhamento prévio pelo sistema de regulação do Estado. O serviço é voltado apenas para os casos de média e baixa complexidade, sendo os mais graves, como grandes traumas, perda da consciência, fortes baques na cabeça ou suspeita de fratura para a coluna, encaminhados ao Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência, em Ananindeua.

“Essa medida visa atender uma necessidade histórica dessa região, que registra altos índices de acidentes automobilísticos. Nossa intenção é diminuir as transferências dos pacientes para outras localidades e ter outras unidades hospitalares referências em atendimento ortopédico em todo o Estado”, complementa o secretário de Saúde Pública, Rômulo Rodovalho.

Ampliação – Com a melhora dos índices da Covid-19 no Estado, a Sespa está retomando projetos importantes, um deles é implementar portas abertas na especialidade ortopedia por todo o Pará.

Em janeiro deste ano, o Hospital Regional do Tapajós (HRT), em Itaituba, no sudoeste do Pará, iniciou o atendimento em traumatologia pelo regime de porta aberta para casos graves e não graves. Já em fevereiro, o atendimento de ortopedia foi iniciado no Hospital Divina Providência, em Marituba, que tem capacidade para realizar até 300 cirurgias por mês.

Voltada à população da região de integração do Araguaia, o serviço de porta aberta 24 horas em traumatologia passou a ser feito também pelo Hospital Regional de Conceição do Araguaia, enquanto casos mais complexos seguem encaminhados ao Hospital Regional de Redenção. A mudança também repercutiu na ampliação de 15 para 30 leitos em traumatologia e na disponibilidade de duas equipes ortopédicas na Unidade de Conceição do Araguaia.

Texto: Melina Marcelino/Sespa
Fotos: Marco Santos/Ag.Pará

Você pode gostar...