Lacen inicia vacinação de servidores que atuam na linha de frente do diagnóstico de covid

Edneia do Socorro Coutinho

Edneia do Socorro Coutinho tem 59 anos, é técnica em patologia clínica. Ela trabalha no Laboratório Central do Pará (Lacen- PA), recebendo amostras de casos suspeitos de Covid-19 e foi uma das primeiras servidoras a tomar a primeira dose da vacina contra o novo coronavírus.

“Todos os dias ando com esse vírus debaixo do braço, literalmente, é muito bom saber que estamos sendo vacinados, mas as pessoas precisam ter consciência, mesmo depois de vacinados, precisamos continuar usando máscara, álcool em gel e manter o distanciamento”, alerta a técnica.

Katia Furtado

Com base nas diretrizes do Plano Paraense de Vacinação contra a Covid-19, o Laboratório Central do Pará (Lacen) iniciou nesta quarta-feira (27), a vacinação de seus servidores contra o novo coronavírus. Nesta fase inicial, foram vacinados 48 servidores, todos trabalhadores da linha de frente no diagnóstico da Covid-19. A segunda dose deve ser aplicada no dia 27 de fevereiro.

Alberto Jorge Júnior, diretor do Lacen – PA explica que o laboratório foi habilitado pelo Ministério da Saúde, através do Instituto Evandro Chagas (IEC), para a realização do diagnóstico da Covid-19 pela metodologia da biologia molecular (RT-PCR) e chegou a funcionar por mais de 20 horas seguidas diariamente durante o pico da contaminação, entre abril e maio de 2020.

“Somos o único laboratório de referência, que realiza esse diagnóstico para todos os 144 municípios do Estado, por conta disso que esses servidores estão no grupo prioritário para vacinar, eles tem contato no recebimento da amostra e durante a análise. Apesar do Lacen ter todos os critérios de biossegurança implantados, Equipamentos de Proteção Individual e Coletiva para todos os servidores, nós precisamos garantir que eles sejam imunizados, por estarem na linha de frente, não no contato com o paciente,  mas sim com amostras que são de casos suspeitos de covid-19”.

A vacinação foi realizada através da Secretaria Municipal de Saúde de Belém (Sesma), a direção do Lacen-PA encaminhou a Sesma uma lista com os 48 nomes dos servidores, pessoal da equipe de apoio do recebimento de amostras, manutenção e limpeza dos setores que lidam diretamente com as amostras  de casos suspeitos de Covid-19.

“Poder me vacinar hoje me traz uma sensação de alívio, é o momento que vamos nos sentir tranquilos para trabalhar. Eu tenho conduzido amostras e pacientes com covid e estou na linha de frente como motorista desde o início da pandemia”, conta Aguinaldo Bartolomeu, 63 anos, é motorista e não quis se afastar do trabalho em nenhum momento.

Fluxo das amostras – O Lacen-PA recebe as coletas de amostras de casos suspeitos de Covid-19, dos 144 municípios do Pará, essa amostra é conferida, passa por processamento e é centrifugada. Katia Furtado é Biomédica e realiza a análise dessas coletas, ela não acreditou que iria se vacinar nesse primeiro grupo.

“Eu achei que nem ia vacinar por agora, achei que seriam só os profissionais de saúde em contato com pacientes, mas tô achando muito bom receber logo a vacina, lido diretamente com as amostras, meu projeto sempre utilizando os EPIs, principalmente máscara N95, jaleco, touca, sapato fechado”.

Uma grande preocupação de profissionais em saúde, durante a pandemia, é contaminar outras pessoas, principalmente familiares, esse é o caso da Márcia Aquino, Técnica em Patologia Clínica do Lacen-PA. “Eu recebo as amostras, faço a conferência e o processamento, é maravilhoso poder se vacinar, esperamos tanto tempo pela vacina, nosso risco é constante, e o meu medo maior não é só de me contaminar, mas de contaminar outras pessoas, meus filhos e familiares”, conta a técnica.

Policlínica Itinerante – A vacina contra covid-19 também já chegou para os profissionais que atuam nas Policlínicas Itinerantes (Hangar, Mangueirão, Pedreira e Doca). Mateus Henrique, gestor da Policlínica do Hangar, articulou junto a Sesma a vacinação dos profissionais.

“Todos os profissionais contratados nas quatro unidades das Policlínicas Itinerantes já foram vacinados no dia 26 de janeiro, foram quase 100 colaboradores entre médicos, enfermeiros, farmacêuticos e técnicos”, informa o gestor.

A execução da campanha de vacinação é de responsabilidade das secretarias municipais de saúde.

Texto: Melina Marcelino/Sespa

Você pode gostar...