‘Obesidade Zero’ retoma cirurgias bariátricas após suspensão por causa da pandemia

Luanara Saliba, 32, fez a bariátrica e afirma que sua vida mudou

As transformações vão além do peso. Com mais de 30 kg eliminados, a autônoma Luanara Saliba, 32 anos, é uma das pacientes do Programa Obesidade Zero, desenvolvido pela Secretaria de Estado de Saúde Pública do Pará (Sespa), e afirma que sua vida mudou, desde o dia 27 de janeiro de 2021, data em que se submeteu à cirurgia bariátrica.

Com 142kg antes da cirurgia, a vida de Luanara era muito limitada. Atividades como subir escadas, andar ou varrer a casa eram motivos de cansaço excessivo e dores nos joelhos e coluna. “As pessoas têm a oportunidade de transformar a sua vida com o programa. Minha vida mudou completamente. Hoje eu tenho muita qualidade de vida, já consigo caminhar e até correr um pouco. Já subo e desço escadas sem cansaço, minha autoestima melhorou e me sinto maravilhosa”, assegura.

O Hospital Jean Bittar retomou no dia 6 de maio as cirurgias bariátricas do Programa Obesidade Zero após paralisação por conta da pandemia. A unidade, que é referência nos procedimentos, precisou alterar o perfil de atendimento para tratar pacientes de Covid-19, durante um mês e meio, e suspendeu a realização de cirurgias eletivas. Os atendimentos de ambulatórios foram mantidos de forma reduzida.

“Reforçamos que o programa ‘Obesidade Zero’ é uma demanda da sociedade que precisa de atenção especial. O programa tem levado mais qualidade de vida aos pacientes e nós sabemos que isso, em longo prazo, também ajuda a desafogar outros serviços de saúde”, afirma o secretário da Sespa, Rômulo Rodovalho.

Desde o início da realização da primeira cirurgia bariátrica do programa, no mês de outubro de 2020, a equipe multiprofissional do Hospital já realizou 85 procedimentos, com assistência no pré e pós-operatório. O médico Carlos Armando Ribeiro, cirurgião gástrico responsável pelo programa, explica que o objetivo principal é reduzir a fila de espera.

“Trabalhamos para otimizar a nossa fila, considerando que os cuidados pré-operatórios para pacientes submetidos à cirurgia bariátrica são diferenciados. Às vezes, o paciente precisa perder peso antes da cirurgia, deve ter acompanhamento com psicólogo, por exemplo, o que requer mais tempo de preparo para a operação. Não é igual a outros pacientes que precisam apenas do risco cirúrgico para que o procedimento seja realizado”, explica o cirurgião.

Após cerca de quatro meses da cirurgia bariátrica, Américo Nascimento, 38 anos, comemora a redução de 45 kg e o início de uma nova vida. “Posso dizer que foi um recomeço. Eu não tinha mais vida. Após a cirurgia, minha pressão e glicose melhoraram. Saí do quadro de depressão. Toda assistência com o pré e pós operatório foi muito boa. A equipe multidisciplinar é nota 10. Jean Bittar é top de linha, todos são muito bem atendidos, com a maior atenção”, conta.

Os pacientes que já passaram pela cirurgia seguem em acompanhamento pela equipe multiprofissional composta por cirurgião bariátrico, endocrinologista, nutricionista, psicólogo e assistente social, além de cirurgião plástico para cirurgia reparadora.

Além das consultas, orientações sobre como deve ser a dieta; sobre o retorno às atividades laborais; realização de exercícios físicos e cuidados locais com o procedimento; orientação psicológica em relação aos novos hábitos, são repassadas pela equipe aos usuários.

Clique aqui e confira informações sobre o cadastro e indicação para a cirurgia bariátrica.

Texto: Giovanna Abreu/Secom

Você pode gostar...