Obras avançam para instalação de mini usina de oxigênio e 10 leitos UTI em Alenquer

Está em ritmo acelerado as obras para instalação de uma mini usina de oxigênio e a criação de 10 novos leitos para Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) no Hospital Santo Antônio, localizado no município de Alenquer, na região oeste do Pará.

Na próxima semana, o hospital finaliza as obras de instalação da rede de distribuição de oxigênio ao leito dos pacientes. Para a usina entrar em funcionamento, faltará apenas a Equatorial Energia realizar adequação do transformador que atende a unidade. Já a UTI, está com previsão de entrega em 60 dias.

A unidade hospitalar é filantrópica e 90% do atendimento é via o Sistema Único de Saúde (SUS). O Governo do Estado é um parceiro estratégico e responsável pelo investimento para criação dos novos leitos de UTI, auxílio no fornecimento de insumos e participação no custeio do hospital.

O Hospital Santo Antônio atende mensalmente, em média, sete mil pacientes dos municípios de Alenquer, Curuá e Monte Alegre na área de emergência.

“A usina de oxigênio é o principal elemento no tratamento da Covid. Diante de todos correndo atrás de cilindros de oxigênio, essa usina será um alívio  para a administração e segurança do paciente. Por mais que tenhamos apoio da Secretaria Municipal e do Governo do Estado, com a produção própria tiramos qualquer tipo de preocupação”, explicou a diretora do hospital Santo Antônio, Irmã Nila Soares.

“Já os novos leitos de UTI, é o Governo do Estado que está viabilizando para o hospital atender a região. As obras estão adiantadas e se Deus quiser o hospital vai ficar em um porte de maior complexidade para atendimento e por fim, em uma correria pela transferências de pacientes em situações mais graves”, completou.

O prefeito de Alenquer, Tom Farias, destaca que as benfeitorias no Hospital Santo Antônio são importantes para o município, principalmente, no enfrentamento à Covid-19. Tom Farias avalia que o cenário da pandemia na cidade está estabilizado, mas em um patamar ainda alto.

“O município tem feito todas as iniciativas para que possa conter o avanço da Covid-19. Já tivemos lockdown, temos barreiras sanitárias, vigilância sanitária e órgãos de fiscalização nas ruas. Não temos medidos esforços para garantir atendimento à população cessar os índices de crescimento do vírus”, relatou.

A secretária municipal de Saúde, Edizangela Maia, detalha que o município criou um centro especializado de atendimento à Covid. “O objetivo é fortalecer as medidas preventivas da nossa cidade, que é carente e ainda não tem um hospital de alta complexidade com UTI. Então, hoje atuamos identificando os casos de Covid precocemente para que o paciente não tenha agravamento e necessidade de precisar ir para UTI”, explicou.

Texto: Leonardo Nunes/Secom

Fotos: Marcelo Seabra/Ag. Pará

Você pode gostar...