Pacientes com Covid-19 contam com Telemonitoramento do Hospital Albert Einstein

Pacientes com Covid-19 recebem ligações de enfermeiros do Einstein

Desde o dia 16 de abril, o governo do Estado vem disponibilizando a todos os pacientes com resultado de exame positivo para Covid-19 um serviço de Telemonitoramento com médicos e enfermeiros do Hospital Albert Einstein (Einstein), por meio de parceria entre o Hospital, a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) e a Prodepa.

Esse serviço está substituindo, momentaneamente, por conta da pandemia do novo coronavírus, o Projeto Telemedicina Pará, que é desenvolvido em parceria com a Sespa e que oferece consultas médicas com especialistas, por meio de teleconsultoria, tendo de um lado um médico especialista do Einstein e do outro o paciente acompanhado por um médico clínico geral.

O diretor de Desenvolvimento de Sistema da Prodepa, Gustavo Costa, informou que o trabalho de Telmonitoramento é desenvolvido a partir do sistema que a Prodepa criou para centralizar as informações sobre a notificação e a confirmação de casos de Covid-19 no Pará, que reúne todos os dados pessoais dos pacientes e todas as informações do primeiro atendimento realizado em unidade de saúde ou hospital. “A partir da publicação do boletim pela Secretaria de Estado de Comunicação, é gerada e enviada para o Hospital Albert Einstein a lista e todas as informações dos casos positivos não hospitalizados atendidos tanto em serviços públicos como privados”, explicou.

Segundo a coordenadora de Operações da Telemedicina do Einstein, Renata Albadejo, a equipe é formada por enfermeiros e médicos pneumologista e só são monitorados casos confirmados laboratorialmente. “Até o momento foram realizados cerca de 100 contatos bem sucedidos com pacientes. Mas cerca de 50% das tentativas de comunicação não são alcançadas”.

Renata Albadejo explicou que a enfermeira do Einstein telefona para o paciente e coleta todas as informações de saúde relacionadas à infecção por Covid-19 e suas complicações. “Seguimos uma árvore de decisão ao final de cada contato e decidimos por manter o monitoramento, encaminhar para atendimento presencial ou liberar para atividades habituais. Porém, quem libera é o médico após um contato agendado por videoconferência com o paciente”, detalhou a coordenadora assistencial.

Até o momento receberam monitoramento pacientes de Covid-19 dos municípios de Acará, Ananindeua, Barcarena, Belém, Bragança, Bujaru, Castanhal, Marituba, Nova Ipixuna, Parauapebas, Quatipuru, Santarém e Tucuruí.

Texto: Roberta Vilanova

Foto: EnginAkyurt/Pixabay

Você pode gostar...