Pai e filho vencem a Covid-19 e têm alta juntos no Hospital Regional da Transamazônica

Com desconforto respiratório e necessitando de auxílio de oxigênio, Silas Kull, de 74 anos, deu entrada no Hospital Regional Público da Transamazônica, em Altamira, no sudoeste do Pará, em 3 de maio de 2021. Após, quatro dias, o filho dele, Gilvan Kull, de 50 anos, foi internado nas mesmas condições do pai. Nesta terça-feira (11), eles protagonizaram uma das cenas mais comoventes da batalha contra o novo coronavírus no sudoeste do Pará. Recuperados, pai e filho saíram de mãos dadas para alegria da equipe multiprofissional da unidade.

“Estou feliz, porque eu e meu pai estamos deixando juntos o hospital. Só posso agradecer por cada profissional que cuidou de nós com todo carinho e cuidado. Estarei orando por cada um, desde o zelador até a direção”, comemorou Gilvan Kull.

“Ficamos felizes pelos recuperados. Os resultados positivos do HRPT demonstram que o governo do Pará continua agindo em tempo hábil para garantir à população da região atendimento de qualidade mais próximo da casa. Mas ainda assim precisamos manter o alerta para que todos se cuidem e evitem a exposição excessiva, pois ainda estamos passando por uma pandemia”, frisou o secretário de Saúde do Pará, Romulo Rodovalho.

O HRPT é uma das unidades de saúde do Estado referência no tratamento de pacientes com a Covid-19, e atende nove municípios da região de Integração do Xingu. A unidade já recuperou mais de 400 pacientes adoecidos pelo novo coronavírus.

De acordo com o Hospital Regional Público da Transamazônica, Silas e Gilvan apresentaram desconforto respiratório e fizeram uso de oxigênio. Com a assistência prestada, os dois tiveram melhora do quadro clínico e puderam voltar para casa.

“Foi uma surpresa quando soubemos que eram pai e filho. Nessas horas, sabemos que o emocional conta muito. Após a liberação para a alta de ambos, fizemos um encontro dos dois, pois eles ainda não tinham se encontrado na unidade. Foi um momento extremamente emocionante para eles e para nós”, contou, emocionada, Cerly Sousa, uma das enfermeiras que atendeu os pacientes.

Silas e Gilvan voltaram para a casa, em Medicilândia, com outros membros da família. A chegada dos pacientes em casa foi registrada também pela família que compartilhou o reencontro com os profissionais do Regional Público da Transamazônica.

O Hospital Regional é reconhecido nacionalmente entre os melhores hospitais públicos do Brasil. A unidade já conquistou a certificação ONA 3, concedida pela Organização Nacional de Acreditação (ONA), um reconhecimento que atesta a qualidade dos serviços prestados à população no interior do Pará.

Texto: Por Karine Sued

Fotos: Divulgação

Você pode gostar...