Pará contabiliza 2.127 leitos para Covid-19 e ações buscam reduzir internações

Governador observa que o maior número de leitos resulta da dedicação e agilidade que pautam os esforços coletivos do governo estadual

O Pará já conta com 2.127 leitos exclusivos para tratamento da Covid-19 criados pelo Governo do Estado. O anúncio foi do próprio governador Helder Barbalho em sua rede social, neste sábado (13). O chefe do Executivo frisou que esse é o “resultado da dedicação e agilidade com que trabalhamos para reforçar os atendimentos em saúde e salvar vidas”.

Os 2.127 leitos divulgados neste sábado são a soma dos 1.457 leitos clínicos, mais 670 leitos de UTIs (Unidade de Terapia Intensiva) adultos. Além desse total, o Pará também conta com 23 leitos de UTI pediátricos e 25 leitos de UTI neonatal.

Em março de 2020, o Estado contava com 3 UTIs exclusivas para o tratamento de pacientes com o novo coronavírus. Com a estratégia de ampliação de leitos desenvolvida nos últimos três meses, o número de UTIs saltou para 670. Com relação aos leitos clínicos na rede estadual, a quantidade subiu de 26, em março, para os atuais 1.457.

Todos os atendimentos médicos seguem orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e do Ministério da Saúde

O governador Helder Barbalho comentou os esforços coletivos da gestão estadual para assegurar medidas importantes no enfrentamento do novo coronavírus.

“Nós iniciamos o processo de isolamento social em março, seguindo orientação da Organização Mundial da Saúde (OMS) e do Ministério da Saúde. O nosso trabalho é realizado para proteger a nossa população. Não medimos esforços para estruturar a rede de saúde paraense”, afirmou Helder Barbalho.

A ampliação de leitos ocorre de forma descentralizada para garantir atendimento aos pacientes que moram no interior

 

Hospitais de Campanha e Abelardo Santos – Parte da ampliação de leitos se deve aos investimentos na montagem de Hospitais de Campanha em Belém, Marabá, Santarém e em Breves que, juntos, totalizam 168 leitos de UTI, 22 de estabilização e 530 clínicos.

O Governo do Estado mudou o perfil do Hospital Regional Abelardo Santos para ampliar a oferta de atendimento aos pacientes com síndrome aguda respiratória. A unidade conta atualmente com 319 leitos, sendo 101 leitos de UTI.

São várias as frentes de atuação planejadas, a exemplo da quarta entrega de medicação para tratamento da Covid-19 aos 144 municípios

Interior – A ampliação de leitos ocorre de forma descentralizada para garantir atendimento aos pacientes que moram no interior. O crescimento do número de leitos nas regiões de integração ocorre por meio de convênios com prefeituras e, também, pelo incremento nos hospitais regionais e na entrega antecipada da ala para tratamento de pacientes de Covid-19 do Hospital Regional de Castanhal.

A abertura do Hospital de Castanhal estava prevista para o final de 2020 e foi antecipada pelo governo para o início deste mês. A população de Castanhal e de outros municípios próximos passará a dispor de mais 120 leitos. São 100 clínicos e 20 de UTIs.

Alas exclusivas foram montadas nos Hospitais de Campanha de Belém (50 leitos); de Marabá (10 leitos); e de Santarém (10 leitos)

Atenção aos povos indígenas  – O atendimento humanizado aos povos indígenas paraenses é foco da atenção do governo do estadual. Alas exclusivas foram montadas nos Hospitais de Campanha de Belém (50 leitos); de Marabá (10 leitos); e de Santarém (10 leitos). Os espaços foram adaptados para melhor atender aos índios durante o tempo de internação, respeitando seus hábitos e tradições, a exemplo de costumes religiosos.

“Essa iniciativa é pioneira. A humanização dos espaços é fundamental e mostra o trabalho que o Estado do Pará vem desenvolvendo com carinho especial à população indígena”, afirmou Robson Santos da Silva, secretário especial de Saúde Indígena do Ministério da Saúde, em visita ao Hospital de Campanha de Belém na tarde de sábado.

Alas exclusivas foram montadas nos Hospitais de Campanha de Belém (50 leitos); de Marabá (10 leitos); e de Santarém (10 leitos)

Ações planejadas para redução de internações – O avanço no quantitativo de leitos segue paralelo aos cuidados com o planejamento integral para o combate do novo coronavírus, o que inclui iniciativas com assistência médica e farmacêutica na capital e nas regiões de integração do Pará. Tudo com o objetivo de evitar o agravamento do estado de saúde de pacientes diagnosticados com a doença, o que provoca maior procura por internação, que, em geral, é de longo período.

São várias as frentes de atuação planejadas. O Governo do Pará realizou a quarta entrega de medicação para tratamento da Covid-19 aos 144 municípios paraenses no início deste mês.

Foram distribuídas 65 mil hidroxicloroquinas e 227 mil azitromicinas na capital e interior. Ao todo, já foram adquiridos 615 mil hidroxicloroquinas, 940 mil azitromicinas, o que significa 188 mil tratamentos para a população.

Policlínica Itinerante – Mais de 26 mil atendimentos foram realizados em 25 municípios pela Policlínica Itinerante. O trabalho desenvolvido por equipes de profissionais especializados já é referência no tratamento da Covid-19 e chegou a cidades distantes dos centros urbanos para cuidar de pessoas com sintomas da doença.

As estruturas foram levadas em carretas e embarcações, o que representa o esforço de se vencer as peculiaridades do território paraense e assegurar assistência à saúde para quem mais precisa.

Neste domingo (14), o navio da Policlínicia Itinerante está atracado no trapiche de São Sebastião da Boa Vista, no Marajó. Depois, segue para Cachoeira do Arari, onde ficará nos dias 15 e 16. Em seguida, vai para Soure e Salvaterra, oferecendo atendimento à população até o dia 17.

Além do atendimento no navio, desde este sábado (13), outra equipe de profissionais está na Escola Estadual Maria Cecília Ribeiro, no município de Barcarena, prestando serviço médico. A partir desta segunda-feira (15), as atividades serão realizadas nas sedes municipais de Altamira e Parauapebas.

As ações paralelas contam com o atendimento especializado para pacientes com sintomas leves e moderados da Covid-19, das 8h30 às 17h30. Em Altamira, na Transamazônica, os serviços serão realizados no Campus IX da Universidade do Estado do Pará (Uepa), na avenida Bom Jesus, até quarta-feira (17).

No município de Parauapebas, sudeste paraense, o atendimento será na Praça de Eventos, na rua E, Cidade Nova, em frente à Secretaria Municipal de Saúde, também, até dia 17.

Texto: Ronan Frias/ Cohab

Fotos: Marco Santos, Jader Paes, Ale Ribeiro, Bruno Cecim/Ag. Pará

Você pode gostar...