Policlínica Itinerante chega aos bairros Águas Lindas, Sideral e Tapanã

O atendimento ambulatorial é um dos serviços ofertados pela Policlínica Itinerante. Pacientes que já tiveram contato com o novo coronavírus, desenvolveram a Covid-19, mas não transmitem mais a doença são acompanhados nos postos móveis de atenção básica. Nesta segunda-feira (22), receberam o serviço os bairros de Águas Lindas, em Ananindeua, e Sideral e Tapanã, em Belém.

O consultor de vendas Océlio Santiago está há mais de mês se recuperando de Covid-19. Após passar por 28 dias em isolamento, mas com alguns sintomas remanescentes, ele procurou a Policlínica Itinerante no conjunto Júlia Seffer, nas Águas Lindas. “Ainda sinto um pouco de cansaço e dores articulares. É mais aquela questão da segurança e do bem-estar da saúde, buscar informações para ter certeza se estou no caminho certo, com a medicação correta. O médico me receitou vitamina C, até então eu não estava tomando nada. Isso é um passo que dá mais segurança”, contou.

 

No Júlia Seffer, décimo bairro a receber a Policlínica Itinerante em Ananindeua, os serviços seguem até quarta-feira (24), na Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Erotildes Frota Aguiar. Segundo a coordenadora da ação na cidade, Marilda Braga, o atendimento é para os quadros leves de Covid-19. “O paciente que nos procurar com os sintomas, se necessário, fará o exame do PCR e o teste rápido. É oferecida a medicação, se prescrita para o paciente. Além disso, temos todo o suporte da Seduc (Secretaria de Estado de Educação) que oferece sopa para aqueles que acabam ficando um período muito longo sem se alimentar”, informou.

A busca pela confirmação da doença foi o que levou a funcionária pública Andreza Corrêa a procurar atendimento. “É bom porque a gente tinha que correr para longe para fazer teste, pegar medicamento e, às vezes, nem tinha. É bom para quem mora perto. Foi rápido, fácil, muito bom. Há mais ou menos 20 dias tive sintomas e vim ver se estou positiva ou negativa. Ajuda porque a gente faz o teste e já sai com o medicamento. É bom para fazer o tratamento completo”, frisou.

Belém – A Policlínica Itinerante está na Escola Dr. José Márcio Ayres, no bairro do Tapanã, e na Escola Pedro Marques de Mesquita, no Sideral. O atendimento em todas os postos ocorre das 8h30 às 17h30. A descentralização é uma das medidas do governo do Estado para oferecer assistência para pessoas que, às vezes, não têm condições de se deslocar até um hospital ou para a própria Policlínica Metropolitana.

Um dos primeiros pontos de atendimento itinerante, a Estação das Docas encerrou o serviço neste fim de semana, depois de 17 dias. “Acreditamos que a procura foi pelo local estratégico, que tinha muita demanda tanto de quem mora ou trabalha por perto, nas redondezas, no centro ou comércio, além dos ribeirinhos também, que atravessavam a baía atrás de atendimento. A ação itinerante deu certo e desafogou o atendimento nos hospitais, além de impedir o agravamento de casos”, avaliou a coordenadora da Policlínica Itinerante, Alessandra Leal.

Texto: Dayane Baía/Secom

Fotos: Alex Ribeiro/Ag. Pará

Você pode gostar...