Sespa ajuda a reduzir a ocupação na UPA de Santarém

Equipes da Secretaria de Saúde do Pará (Sespa) e Secretaria de Saúde de Santarém têm desafogado a ocupação da UPA no município

A Secretaria de Estado de Saúde (Sespa), em conjunto com a Secretaria de Saúde de Santarém, tem reduzido o número de ocupações na Unidade de Pronto Atendimento do município. Isso tem sido feito por meio de transferências mais céleres de pacientes para hospitais de referência em Covid-19 na região oeste, onde o contágio da doença é agudo.

O trabalho iniciou esta semana, quando os diretores da Sespa, em conjunto com a prefeitura, identificaram um fluxo acima do esperado na UPA, mesmo com leitos à disposição da população. Com o aval da Prefeitura, um técnico da 9ª Regional de Saúde da Sespa foi para dentro da Unidade, para entender quais os problemas e porque os pacientes não estavam sendo regulados.

“Fizemos uma avaliação técnica e identificamos que era necessário realinhar estrategicamente o núcleo interno de regulação da unidade. Colocamos um profissional nosso dentro deste núcleo, que acompanha o processo 24 horas, dando mais celeridade aos processos de internação e transferência”, explicou o diretor de Desenvolvimento e Auditoria em Serviços de Saúde, Guilherme Mesquita.

TRANSFERÊNCIAS – Atuando dentro da UPA de Santarém desde 02 de fevereiro, os técnicos da Sespa identificaram uma grande rejeição dos familiares de pacientes quanto às transferências para o Hospital Regional do Tapajós, em Itaituba, o que também estava fazendo com que a unidade continuasse operando acima da capacidade.

“Aqui na região, nós temos dois hospitais regionais como referência no tratamento de Covid-19, que são: o Hospital Regional do Baixo Amazonas, em Santarém, e o do Tapajós, em Itaituba. Quando chegamos aqui encontramos uma grande resistência dos familiares de pacientes em autorizar as transferências para o Regional do Tapajós. Lá temos a qualidade em assistência que temos aqui em Santarém, mas esses familiares não estavam autorizando”, disse Guilherme Mesquita.

Com esta dificuldade, o Hospital Regional de Santarém não tinha mais como atender à demanda e os pacientes internados na UPA entravam em uma fila de espera, mesmo o Estado disponibilizando leitos em Itaituba. Como estratégia para contornar esta situação, os diretores da Sespa, em conjunto com a diretoria da UPA e a Assistência Social do município, reuniu com os familiares de pacientes que estavam precisando de transferência.

“Essa reunião foi a forma de conscientizá-los, explicar que nós temos leitos em Itaituba, que temos a mesma capacidade técnica operacional de Santarém e que a transferência é feita através do transporte aeromédico do Estado. Nós tivemos um retorno muito positivo dessa reunião. Cerca de 90% das pessoas que ali estavam, aceitaram e assinaram o termo de transferência para Itaituba. Todo esse procedimento está sendo feito diariamente. Já conseguimos transferir 25 pacientes, desde o dia 02”, pontuou Mesquita.

LEITOS – Nesta segunda onda de contágio da Covid-19 no oeste do Pará, o Governo do Estado abriu mais de 150 leitos, entre UTI e clínicos, nos Hospitais Regionais de Santarém (95), Iataituba (129) e 9 de Abril (25), em Juruti. Por conta da alta demanda, neste domingo (7), o Hospital Regional do Baixo Amazonas abrirá mais 24 leitos clínicos exclusivos para Covid. Esses leitos serão temporários e funcionarão até que o Hospital de Campanha de Santarém, que deve ser entregue nos próximos dias, funcione em sua totalidade.

“Durante uma reunião que tivemos com a direção do Baixo Amazonas ficou acordado que vamos aumentar mais 24 leitos clínicos no hospital até o funcionamento 100% do hospital de campanha, que será aberto aqui em Santarém. Nós firmamos esse acordo também com a Secretaria Municipal de Saúde e após a inauguração do HC, vamos suprimir esses 24 leitos e continuaremos atuando dentro do que já operacionalizamos hoje. Os 24 leitos do regional vão abrir amanhã e a partir das 7h já estarão no sistema”, explicou o diretor Guilherme.

Transferências na região Oeste – Entre os dias 18 de janeiro e 5 de fevereiro, a Secretaria de Estado de Saúde já realizou a transferência de 117 pacientes. Desse total de remoções realizadas exclusivamente pela Central de Regulação da Sespa, 103 delas ocorreram por via aérea e 14 por barcos, para os hospitais regionais de Santarém e Itaituba, e Juruti.

Texto: Ana Thaynara/Secom

Você pode gostar...