Sespa edita manual com orientações para educação à distância

“Como Elaborar atividades de Educação à Distância no Contexto da Atenção Primária à Saúde” é o mais novo manual editado pela Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) para contribuir com as ações durante a pandemia de Covid-19.

A iniciativa é das Coordenações Estaduais de Nutrição (CEN) e de Saúde do Adolescente e Jovem (CESAJ) com apoio do Departamento de Atenção à Saúde (Dase)/Diretoria de Políticas de Atenção Integral à Saúde (Dpais), em parceria com o Coordenação de Tecnologia e Informática em Saúde (CTIS).

A proposta do manual é adequar as ações presenciais das Coordenações da Sespa ao momento de pandemia da Covid-19, considerando as necessidades de qualificar e orientar os profissionais e gestores de saúde dos municípios à distância nas ações desenvolvidas no âmbito da Atenção Primária à Saúde (APS). Então, o objetivo do documento é orientar a equipe técnica na elaboração de cursos à distância, de modo a estabelecer critérios mínimos para o processo ensino-aprendizagem, orientar sobre as várias possibilidades de Educação à Distância (EAD) na atualidade e discutir as possibilidades e limitações no uso desse modelo de ensino.

Segundo a nutricionista Rahilda Tuma, o Manual aponta estratégias frente às demandas mais frequentes na APS nestes tempos em que o distanciamento social se faz necessário. “Apesar da iniciativa de realizar capacitação a distância ser da CEN e Cesaj, entende-se que esta modalidade pode e deve ser considerada por todos, diante da situação atual. Portanto, esta proposta pedagógica deve orientar a elaboração das atividades de WEB Capacitação em Boas Práticas em Saúde em qualquer temática e/ou assunto”, explicou.

A modalidade de ensino à distância não é uma novidade e está presente no Brasil há mais de um século. Todavia, atualmente, dispõe de avançada tecnologia da informação e comunicação, que oferece diversos meios que podem ser aplicados no processo ensino-aprendizagem. Assim, surgiu a necessidade de se estabelecer critérios e diretrizes que orientem a elaboração de atividades de EAD pela equipe técnica da Sespa, mais especificamente da Cesaj e CEN, definindo critérios mínimos a serem e seguidos, como meio de unificar a linguagem, sem deixar de contemplar a diversidade e as especificidades de cada temática.

O Manual está dividido em duas partes. Na primeira, são apresentadas as diretrizes e orientações gerais para a realização de atividades de EAD. E na segunda, há uma breve discussão sobre as disposições pedagógicas e as bases legais da EAD.

No que tange às Diretrizes e Orientações, o manual traz tópicos como: escolha do tema, carga horária e meios e formas, nesse ultimo abordando os tipos de tecnologia e aplicativos para transmissão de live e videoconferência, considerando, ainda a diversidade de sinal de internet nos municípios paraenses.

Além de Rahilda Tuma, que é mestre em Ciência de Alimentos, participaram da elaboração do manual a socióloga e mestre em Antropologia, Syane Lago; a mestre em Enfermagem e coordenadora da Cesaj, Vera Canto; a nutricionista e especialista em Nutrição Clínica, Mariana Petroli; e a nutricionista e pesquisadora do Projeto de Enfrentamento e Controle da Obesidade no Âmbito do SUS no Pará, Giovana Santos.

Apesar de ter sido feito para setores da Sespa, o Manual ficará disponível no link abaixo para profissionais de outras instituições que tiverem interesse em utilizá-lo:

MANUAL EAD APS SESPA final

Texto: Roberta Vilanova/Sespa

Você pode gostar...