Sespa firma compromisso e começa a oferecer serviço de hemodiálise no Marajó

Paciente com a Covid-19 na UTI do HRPM foi o primeiro usuário a passar pelo procedimento

O Hospital Regional Público do Marajó (HRPM), em Breves, no sudoeste marajoara, já conta com o serviço de hemodiálise para pacientes internados nas Unidades de Terapia Intensiva (UTI´s). Neste feriado de Tiradentes (21), o usuário José Rodrigues Morais, 64 anos, natural de Portel, foi um dos beneficiados com o procedimento.

“O paciente com a Covid-19 está internado na UTI adulto e apresentou quadro de alteração na função renal. Por isso, iniciamos a sua primeira sessão de tratamento, que foi um sucesso”, informou a médica nefrologista do HRPM, Maria Paula Sidor Coraiola.

Para o secretário de Saúde Pública, Rômulo Rodovalho, essa é uma grande conquista na assistência de saúde da população marajoara. “Há mais de 11 anos o serviço de hemodiálise é esperado na região do Marajó e agora o Governo do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), conseguiu implementar esse serviço tão importante para a população”, destacou.

De acordo com o diretor Técnico do HRPM, André Noronha, até o final de abril, deverá iniciar também o serviço de hemodiálise ambulatorial, que já está em fase final de implantação e triagem de pacientes.Foto: Lucas Brilhante / HRPM

Noronha ressalta que 30% dos doentes com a Covid-19, que necessitam de UTI, evoluem com alterações da função renal, denominada de Insuficiência Renal Aguda (IRA). “Destes, cerca de 5% necessitam de hemodiálise, que é um equipamento que faz o papel do rim, no paciente grave, ou seja, filtra o sangue eliminando as toxinas da circulação sanguínea”, explica.

Máquina de Hemodiálise na UTI

Com a entrega do serviço de hemodiálise, a equipe do HRPM já disponibilizou o procedimento na UTI para pacientes com Covid-19, que impactou na melhoria da função renal dos mesmos, aumentando assim, as chances de recuperação. “Antes, esses pacientes com Covid e insuficiência renal precisavam que ser transferidos para Belém, por meio de transporte aéreo. Mas, agora, a realidade é outra e bem melhor”.

André Noronha esclarece, no entanto, que para a efetivação da hemodiálise, o paciente passa por avaliação de um especialista, no caso o nefrologista, que é o responsável por indicar e acompanhar o procedimento.

“Em algumas situações especiais, apesar do paciente ter indicação de hemodiálise, ele não apresenta condições clinicas para realizar o procedimento como, por exemplo, se ele apresentar instabilidade hemodinâmica grave (paciente necessita de medicações para manter a pressão arterial sistêmica em níveis próximos da normalidade). “Nesses casos, a hemodiálise só poderá ser realizada após compensação da pressão arterial para não aumentar os riscos ao paciente”, observou o médico.

Parte da equipe multiprofissional do serviço de hemodiálise

Estrutura – O mais novo serviço disponibilizado pela Sespa funciona dentro da unidade hospitalar, em uma área de 200 m2, com sete máquinas para hemodiálise ambulatorial e duas para tratamento em UTI, além de uma de segurança. A unidade tem capacidade de atendimento em três turnos. Além dos equipamentos, o serviço conta com equipe multiprofissional composta por médicos nefrologistas e cirurgiões vasculares, enfermeiros, técnicos de enfermagem, assistente social, nutricionista, fisioterapeuta e psicóloga.

Serviço: O HRPM é um órgão do governo do Estado, que presta assistência de média e alta complexidade aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS). A unidade dispõe de atendimento ambulatorial de segunda a sexta-feira, das 7h às 17h. O hospital está localizado na avenida Rio Branco, 1.266, no bairro Centro, do município de Breves. Mais informações: (91) 3783-2140 / 3783-2127.

Texto: Vera Rojas/Hemopa
Fotos: Lucas Brilhante/HRPM

Você pode gostar...