Uepa participa de Inquérito Nacional de Cobertura Vacinal

A Universidade do Estado do Pará (Uepa) participa do Inquérito Nacional de Cobertura Vacinal em parceria com o Instituto Evandro Chagas (IEC), Coordenação Municipal de Saúde da Secretaria Municipal de Saúde (Sesma) e Coordenação Estadual de Imunizações da Secretaria de Saúde Pública do Pará (Sespa). A ação durará seis meses e se estenderá até julho de 2021.

Segundo o Ministério da Saúde, em função da redução da cobertura vacinal observada no país por causa do isolamento social imposto pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19), o Programa Nacional de Imunização (PNI) propôs a realização do inquérito tendo como objetivo observar o quadro vacinal de crianças com idade entre 12 e 24 meses, que moram nas áreas metropolitanas de 19 capitais e em Brasília, no Distrito Federal.

No Pará, a coordenação será do IEC, por meio de uma equipe chefiada pela pesquisadora e professora da Uepa, Consuelo de Oliveira. As visitas domiciliares serão executadas pela Sociedade para o Desenvolvimento da Pesquisa Científica (SCIENCE).

Entre as coberturas vacinais que serão investigadas estão a BCG, Hepatite B, Poliomielite, Pentavalente, Rotavirus Humano, Febre Amarela, Meningococo conjugada C, Pneumococo conjugado 10 valente, Influenza, Hepatite A, Tríplice Viral, Varicela e reforço para DPT.

Durante a pesquisa e as visitas domiciliares propostas pela metodologia da cobertura nacional do Inquérito Vacinal, haverá registros fotográficos da carteira de vacinação de crianças nascidas entre 2017 e 2018 e um breve questionário social realizado por um entrevistador de uma das instituições parceiras da ação. Ele estará devidamente identificado com crachá e camisa, além de estar portando máscara de proteção individual e álcool em gel, seguindo todos os protocolos de segurança necessários contra a Covid-19.

Segundo a coordenadora regional do Inquérito Nacional de Cobertura Vacinal, Consuelo Oliveira, a união de instituições representativas para a ciência no Estado do Pará promoverá mais valor à pesquisa e os dados alcançados irão auxiliar a tomada de decisões para políticas públicas referentes à imunização da população. “Através da parceria entre diversas Instituições de grande valor para a ciência paraense, se espera aumentar a credibilidade da população sobre a pesquisa proposta, pois, com certeza, o resultado deste inquérito trará subsídios importantes para esclarecer as causas mais frequentes que estão levando as baixas coberturas e desencadear estratégias para o enfrentamento deste cenário tão preocupante com o potencial de emergência de doenças já eliminadas no passado, como por exemplo, o Sarampo”.

Texto:  Daniel Leite Júnior/Uepa

Foto: Nailana Thiely/Uepa

Você pode gostar...