Vacinação contra Covid-19 leva esperança de dias melhores aos idosos do Pará

Idoso vacinado contra Covid em Belém.A primeira dose já foi aplicada em mais de 168 mil integrantes dos grupos prioritários no Estado.

No ápice da segunda onda do novo coronavírus em todo o Brasil, uma dose de esperança é recebida por milhares de paraenses: a vacinação contra a Covid-19. Lágrimas nos olhos e coração aliviado. Muitos definiram o momento da imunização como sinônimo de liberdade e de esperança por dias melhores. Entre os desejos para o fim da pandemia, reunir a família e abraçar sem medo são unânimes pelo público que recebe a dose da vacina. O retorno para as atividades de lazer e ocupações também entraram na lista, além da vontade de viajar para reencontrar amigos e parentes.

“Acho que daqui pra frente vai melhorar. Eu sou uma pessoa que gosta de passear, de viajar, de andar com a minha esposa, conhecer lugares, e não estou tendo esse prazer. Agora é aguardar a segunda dose e se manter da maneira que estou me mantendo: sair só o necessário, abraças e beijar meu filho, minha neta, minha nora, tanta coisa boa. É uma grande esperança”, afirmou o aposentado Eriberto Dias, 69.

Tudo isso será colocado em prática com todos devidamente imunizados e quando a crise sanitária estiver contida. Enquanto isso, os idosos comemoram a pequena picada de agulha e aguardam mais alegres a segunda dose da vacina.

O estado do Pará avança na campanha de vacinação contra a Covid-19 e melhora nos índices nacionais. Nesta semana, o calendário de imunização avançou para as pessoas com mais de 60 e os agentes da segurança pública também foram contemplados.

A dona de casa Rosa Maria Sobreira, 65, torce para a imunização em massa, que a pandemia passe logo e agradece a ciência. “Desde quando surgiram os primeiros casos do Covid-19, eu espera e torcia por essa vacina. Quando os laboratórios começaram a produzir, eu já estava ansiosa e sabia que iria acontecer muito em breve. Quando chegou no Pará, eu fiquei com mais esperança e ansiosa quando se aproximava da minha faixa etária. Hoje falta um dia para me vacinar, estou contando as horas. Isso pra mim é um presente, essa dose já vale ouro”, contou Rosa.

Avanço da vacinação – Com a chegada de 285 mil doses de vacina no último domingo (21), a Região Metropolitana recebeu uma parte maior desta quantidade por concentrar, no momento, o maior número de casos da doença na população.

“O Governo do Pará, por meio da Sespa, tem feito de tudo para garantir uma rápida distribuição de vacinas para todo o Estado, a fim de que os municípios façam uma rápida imunização dos grupos prioritários locais. É importante lembrar que todos ainda precisam continuar usando máscara, higienizando as mãos e mantendo o distanciamento social”, garantiu o secretário estadual de Saúde, Rômulo Rodovalho.

Ainda esta semana, o governador Helder Barbalho tratou com o Ministério da Saúde sobre a nova remessa para imunizar os paraenses e foi sinalizado um novo lote.

Com isso, as regiões do Baixo Amazonas e Tapajós também avançam no público com mais de 63 anos. Na região do Marajó Ocidental e Oriental, pessoas com mais de 65 anos serão incluídos. Na região do Xingu, a vacina será disponibilizada para idosos a partir de 70 anos.

Nas regiões sul e sudeste do Pará e regiões de Marabá, Redenção, Conceição do Araguaia e Parauapebas, idosos a partir de 70 anos serão incluídos. No nordeste do Estado e nas regiões do Caetés, Salgado, Belém-Brasília, Baixo Tocantins e Castanhal, também será garantida a vacinação para todos com mais de 70 anos.

Texto: Bruna Brabo/Secom

Você pode gostar...