Vacinação de profissionais de saúde da linha de frente de combate a Covid-19 prossegue no PA

Após o governo do Estado concluir o processo de distribuição de vacinas contra a Covid-19 aos municípios paraenses, os profissionais de saúde que atuam na linha de frente do combate ao novo coronavírus, de todas as regiões, seguem sendo imunizados. O grupo é considerado prioritário dentro da estratégia prevista no Plano Estadual de Vacinação, desenvolvido pela Secretaria de Estado de Saúde Pública do Pará.

Dando sequência à vacinação, na última terça-feira (27), novas doses chegaram ao Hospital Regional do Tapajós (HRT), em Itaituba sudoeste do Pará.  O hospital, que tem sido referência no tratamento de infectados pelo coronavírus na região do Tapajós, já recebeu 302 pacientes contemplando além dos cinco municípios integrantes da região do Tapajós, pacientes de outras regiões do Estado.

Até o momento, foram vacinados 159 profissionais de saúde do Hospital Regional do Tapajós (HRT) em Itaituba, sudoeste do Pará. A unidade estadual tem sido referência no tratamento de infectados pelo coronavírus na região do Tapajós.

Para a Enfermeira Elaine Oliveira, receber a primeira dose da vacina é motivo para acreditar na aproximação de um futuro sem a pandemia mundial. “Nesse momento tão delicado, e como profissional da linha de frente de combate ao coronavírus, me sinto valorizada e com o coração cheio de esperança de dias melhores, o nosso desejo é que a vacina chegue para todos”, festejou a profissional de saúde.

Em Barcarena, a imunização dos trabalhadores da área de saúde do Hospital Materno Infantil Dra. Anna Turan , também já iniciou. A primeira vacinada contra covid-19 da unidade estadual foi a enfermeira Roberta Lima, de 34 anos. A colaboradora trabalha há mais de dois anos na unidade, e atuou na linha de frente no atendimento dos pacientes afetados pela doença.

“Enquanto esperava ansiosa para o início da vacinação, todos os momentos dentro do hospital, no atendimento aos pacientes, o novo cenário de pandemia, os sentimentos dos familiares, as lutas para salvar vidas, tudo, veio à minha mente, e me emocionei”, lembrou a profissional.

Texto: Ronan Frias/Cohab

Fotos: Ascom/HRT

Você pode gostar...