Videogame é utilizado na fisioterapia de pacientes do Hospital Galileu

Paciente Bruno durante gameterapia

Agregando ao protocolo de fisioterapia do Hospital Público Estadual Galileu (HPEG), em Belém (PA), jogos que simulam partidas de futebol, tênis e surfe estão possibilitando uma reabilitação dinâmica e fora do tradicional para pacientes que sofreram algum trauma ortopédico – a Gameterapia.

Desenvolvido pela equipe de fisioterapeutas do HPEG a gameterapia une a tecnologia com exercícios terapêuticos e de reabilitação. A partir de uma plataforma adaptada ao videogame, que exige o movimento dos braços e pernas, os participantes interagem com o jogo e simulam os movimentos de cada fase.

“A fisioterapia tradicional pode ser um pouco dolorosa para o paciente. Por isso, temos um retorno positivo com a Gameterapia. Com o videogame utilizado, o paciente consegue realizar os movimentos que precisamos e, ao mesmo tempo, estará distraído com o jogo”, explica o coordenador de fisioterapia do HPEG, Eduardo Eberhart.

Para Bruno Pereira, de 21 anos, a Gameterapia está sendo uma ótima opção de exercício para sua perna direita, operada após uma fratura em um acidente de moto. “Os exercícios com os jogos estão me fazendo bem. Hoje já consigo pisar com pé no chão, o que não conseguia antes. Além de ser um passatempo durante esse meu período de internação”, ressalta Bruno, com um sorriso no rosto.

Outro paciente que aprovou a Gameterapia foi Francinaldo de Souza, de 38 anos. Internado há quase um mês no HPEG, ele faz questão de participar das sessões com jogos que simulam o futebol. “Futebol é um esporte que gosto. Usar como tratamento de fisioterapia é melhor ainda”, disse o paciente, que se recupera, também, de uma fratura na perna.

Texto: Rafaela Palmieri/HPEG

Foto: Ascom/Pró-Saúde

Você pode gostar...