Doenças Ortopédicas já realizou mais de 130 cirurgias pediátricas

O programa “Doenças Ortopédicas da Infância”, lançado pelo Governo do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), em setembro de 2020, trata mais de 30 patologias, com procedimentos simples e de alta complexidade. Em 2021, foram registradas 132 cirurgias no Hospital Regional Abelardo Santos (HRAS), unidade referenciada.

O pé torto congênito e as doenças neuromusculares, são as que mais acometem crianças desde o nascimento até a maturidade esquelética. O programa atende cerca de 30 anomalias, que exigem desde fisioterapia até intervenções.

“É uma satisfação muito grande para todos os envolvidos no projeto ver os resultados positivos, principalmente porque o programa não parou, mesmo no pico da pandemia, as crianças continuaram a ser atendidas. E pretendemos dar continuidade para atender todo o cidadão paraense que tem a necessidade de fazer uma cirurgia ortopédica na infância”, garante o titular da Sespa, Rômulo Rodovalho.

Os casos cirúrgicos dos pacientes são atendidos inicialmente pelo Centro Integrado de Inclusão e Reabilitação (CIIR), que realiza os procedimentos pré e pós-operatórios. “As crianças podem passar pelos procedimentos até a maturidade esquelética e em alguns casos específicos, até algum tempo depois. O objetivo é sempre melhorar a qualidade de vida e reduzir as sequelas, por muitas vezes já instaladas no momento da avaliação inicial dos pacientes, por isso, os riscos maiores de sequelas, são sempre, caso estas crianças não sejam operadas”, explica o médico Renato Arraes.

De acordo com Renato Arraes, de janeiro a maio de 2021, o Hospital Regional Dr. Abelardo Santos, já realizou 132 cirurgias do pé torto congênito, sendo, destas, 38 no mês de maio, após o retorno das cirurgias eletivas, suspensas devido ao atendimento exclusivo da unidade à Covid-19. A equipe do programa conta com quatro profissionais, sendo três ortopedistas pediátricos (com título de especialista e especialização em ortopedia pediátrica), e um especialista em alongamento e reconstrução óssea.

Henrique Fonseca, de 3 anos e 4 meses, foi diagnosticado com pé torto congênito e é atendido pelo CIIR. “Ele já fez a cirurgia, eu achei o atendimento ótimo e agradeço muito ao Dr. Renato. Já está com o pé quase 100%, mas ainda falta um ano de tratamento”, pontua a mãe do menino, Taynara Fonseca, 22 anos.

Os agendamentos devem ser realizados no CIIR, por meio do número (91) 98564-6266. Atualmente, o programa realiza cerca de 300 consultas e 150 trocas gessadas. O programa aguarda a abertura de mais atendimentos mensais para atender a demanda suprimida nos 15 anos em que não havia especialistas para esse tipo de procedimento no estado.

Serviço: Atendimento ambulatorial é realizado no Centro Integrado de Inclusão e Reabilitação (Ciir) e as cirurgias ocorrem no Hospital Regional Dr. Abelardo Santos (HRAS), em Icoaraci.

Agendamento (91) 98564-6266

Texto: Dayane Baía/Secom

Você pode gostar...