Regiões do Estado seguem em bandeiramento amarelo

Comitê Técnico e Científico da Secretaria de Saúde (Sespa)

O governador Helder Barbalho anunciou nesta quinta-feira (25), por meio das suas redes sociais, que vai conservar o bandeiramento determinado na última semana, levando em consideração as taxas de infecção pela COVID-19 e de ocupação de leitos no Estado.

De acordo com o levantamento apresentado pelo Comitê Técnico e Científico da Secretaria de Saúde (Sespa), no momento do anúncio, a ocupação de leitos clínicos no Pará, era de 42,1%, enquanto que o índice de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva), estava em 63,45%.

“Estamos encerrando a reunião do Comitê Científico da Secretaria de Saúde, junto com a Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA), para a atualização do bandeiramento e classificação de risco de infecção em todo o Estado, o que nos dá uma tranquilidade e uma reserva de leitos importante, para podermos assistir a todos que precisem”, disse o chefe do Executivo.

Ainda segundo o governador do Pará, os dados e informações apresentados pelo Comitê, indicam queda acentuada no nível de contágio em todas as regiões paraenses.

Helder Barbalho decidiu manter o bandeiramento amarelo depois de analisar os dados

“Mais importante é a excelente notícia de que todos os gráficos demonstram que todas as regiões estão com uma queda acentuada no nível de contágio e, principalmente, nas demandas por leito. Quando eu falo em demanda por leito, é uma demonstração da eficácia da vacinação. Quanto mais gente sendo vacinada, melhor a condição, menos gente precisando de leitos. E eu quero reforçar o meu pedido para que todos se vacinem. Fique atento ao calendário de vacinação, claro, não esquecendo da segunda dose e do uso de máscara”, reforçou Helder Barbalho.

Sendo assim, as regiões do Estado seguem em bandeiramento amarelo até que seja feita uma nova avaliação epidemiológica.

“Vamos manter em um estágio de risco intermediário, todo o Estado. Portanto, continuamos o mesmo bandeiramento. Enquanto isso, nós avançamos na vacina, para poder, gradativamente, ampliar e melhorar o cenário do bandeiramento, reduzindo os riscos para a população”, finalizou.

Texto: Barbara Brilhante/PGE
Fotos: Rodrigo Pinheiro/Ag. Pará

Você pode gostar...