Sespa estará apoiando ação “Valorizando Nossas Raízes” da UFPA

Técnicos destacados pela Coordenação de Vigilância em Saúde da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) estarão entre os dias 19 e 21 de maio apoiando a ação “Valorizando Nossas Raízes”, na Comunidade Quilombola do Baixo e Médio Itacuruçá, interior de Abaetetuba, que será realizada por 40 pessoas, entre estudantes quilombolas, médicos e técnicos da Universidade Federal do Pará (UFPA).

Para a ação, a Sespa estará ofertando testes rápidos para detecção de hepatites, sífilis e HIV, além de vacinas que estão na rotina do protocolo do Ministério da Saúde e medicamentos para suprir consultas médicas que serão ofertadas por outros órgãos inseridos na atividade. “É um dever e um prazer ao mesmo tempo ajudar nessa iniciativa dos estudantes quilombolas e desde já aviso que estaremos disponíveis para apoiar as próximas que vierem”, explica a secretária adjunta de Saúde do Estado, Heloisa Guimarães, que foi quem recebeu a visita de membros da Associação dos Discentes Quilombolas (ADQ) da UFPA, ocorrida na última semana.

Para a ação, a Sespa estará ofertando testes rápidos para detecção de hepatites, sífilis e HIV, além de vacinas que estão na rotina do protocolo do Ministério da Saúde e medicamentos para suprir consultas médicas que serão ofertadas por outros órgãos inseridos na atividade.
FOTO: JOSÉ PANTOJA / ASCOM SESPA
BELÉM – PARÁ

O coordenador da Associação e estudante do curso de Engenharia Civil da UFPA, Valdinei Gomes, explica em nota técnica que a comitiva se concentrará a partir das 8 horas desta sexta-feira, 19, na reitoria da UFPA, para cumprir viagem a Abaetetuba. A meta é que, ainda no período da tarde, os profissionais da equipe médica façam visitas aos doentes da comunidade que não tem condições de sair de casa em busca do atendimento, a fim de atender logo os casos mais delicados. Segundo a nota, serão oferecidas consultas nas especialidades Clínica Geral, Dermatologia, Ginecologia, além de atendimentos em áreas de apoio, como Odontologia, Psicologia, Fisioterapia e Nutrição.

Na manhã de sábado, 20, às 8 horas, serão iniciados os atendimentos às famílias das comunidades Arapapu e Arapapuzinho. A perspectiva de atendimento é de 500 pessoas, entre crianças, jovens, adultos e idosos. No domingo, 21, a ação abrangerá as famílias das comunidades Baixo Itacuruçá e Ipanema, com previsão de 400 procedimentos para todas as faixas etárias.

Em depoimento à Assessoria de Comunicação da UFPA, Valdinei Gomes explica que a ação possui extrema relevância, pois as famílias das comunidades não possuem acesso direto ao atendimento médico. E essa é uma forma dos alunos quilombolas levarem amparo às suas origens. “Não há uma grande valorização da cultura quilombola, e nós estudantes oriundos dessas comunidades queremos melhorar a qualidade de vida do nosso povo, assim como fortalecer nossa cultura valorizando nossos saberes”, diz o estudante.

Ainda segundo Valdinei, o projeto foi pensando por estudantes quilombolas de varias áreas do conhecimento que, sensibilizados com a realidade das próprias comunidades, decidiram retribuir todas as conquistas e principalmente a oportunidade de estarem na Universidade por meio de políticas de ação afirmativa, que é uma luta de longos anos do povo quilombola.

Serviço: Mais informações sobre a ação podem ser obtidas pelos telefones  (91) 99638-9488 e (91) 99294-8267.

 

Você pode gostar...