Profissionais de Portel participam de oficina sobre reanimação e transporte de recém-nascido

Profissionais de Portel participam de oficina sobre reanimação e transporte de recém-nascido

24 de julho de 2021 Off Por Roberta Vilanova

A capacitação inclui atividade prática sobre transporte de recém-nascido em ambulancha

Quase 40 profissionais de saúde do município de Portel, no Arquipélago do Marajó, participam desde o último dia 21 da primeira oficina de capacitação do Projeto Estruturação de Salas de Parto e Implantação de Salas de Estabilização Neonatal no Marajó e Baixo Amazonas, desenvolvido pela Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) em parceria com a Organização Pan-Americana de Saúde (Opas) e Sociedade Paraense de Pediatria.

O médico Renato Oliveira de Lima repassa aos profissionais conhecimentos essenciais na hora do parto

O objetivo do projeto, viabilizado por meio de um termo de cooperação técnica entre o Governo do Pará e a Opas, é melhorar a qualidade da assistência ao recém-nascido no momento do parto, com a capacitação de profissionais, estrutura adequada de salas de parto e implantação de salas de estabilização neonatal.

Segundo a coordenadora estadual de Saúde da Criança, Ana Cristina Guzzo, o projeto busca o cumprimento dos critérios previstos na Portaria nº 371/2014, do Ministério da Saúde, que orienta sobre a estrutura mínima e qualificação da equipe para recebimento de um recém-nascido, considerando que, no Brasil, de cada dez bebês que nascem, um precisa de ajuda para respirar no primeiro minuto de vida. “Pretendemos normatizar as condutas relativas aos cuidados neonatais no momento do nascimento, a estabilização imediata após a reanimação do bebê e o transporte adequado, quando necessário”, explicou.

Técnicas de reanimação neonatal integram o conteúdo da oficina

Conteúdo – Abordando os temas reanimação neonatal e transporte neonatal, a oficina conta com a participação de profissionais que atendem em sala de parto e no Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), e está sendo ministrada pelo médico Renato Oliveira de Lima, consultor da Opas para o projeto, que utiliza o método de simulação realística em reanimação neonatal.

Renato Oliveira de Lima é médico neonatologista e autor da tese de doutorado “Análise do impacto do Programa de Reanimação Neonatal da Sociedade Brasileira de Pediatria nos resultados neonatais da mesorregião do Sudoeste Piauiense”, defendida na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), em São Paulo, que demonstrou melhora significativa nos resultados neonatais na região do Piauí (PI), após intervenção na estrutura das salas de parto e capacitação das equipes em reanimação neonatal.

O segundo momento da oficina, em agosto, será conduzido pela presidente da Sociedade Paraense de Pediatria, Vilma Hutim de Souza.

Médico Renato de Lima com a turma de profissionais de saúde de Portel

Também estão em Portel, pela Opas, a médica Tatiana Coimbra e dois profissionais de comunicação que registram a atividade. A Sespa está representada pelas enfermeiras da Coordenação de Saúde da Criança Nayara Matias, Selma Alves e Vera Brito, com o apoio administrativo de Nathalia do Vale.

Segundo Ana Cristina Guzzo, apesar de o projeto-piloto ter sido realizado no Hospital Regional de Salinópolis, no Nordeste do Pará, Portel é o primeiro município previsto no Projeto a receber o treinamento e os equipamentos necessários para a estabilização de bebês recém-nascidos. “Os próximos municípios beneficiados serão Afuá e Soure, também no Marajó, e Alenquer e Monte Alegre, no Baixo Amazonas”, informou a coordenadora.

Texto: Roberta Vilanova/Sespa

Fotos: Divulgação