Carteira da Criança é lançada pela Sespa em live para técnicos de Secretarias Municipais da Saúde

A Coordenação Estadual de Saúde da Criança da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) lançou a nova Carteira da Criança. O documento foi apresentado ao vivo, pela internet, em transmissão pelo Google Meet. Nas versões para menino e para menina, a publicação traz orientações sobre cuidados com a criança para que ela se desenvolva de forma saudável e outras recomendações, como direitos e deveres das crianças e dos pais; amamentação; alimentação complementar; prevenção a doenças por meio de vacinas e demais itens de desenvolvimento.

A carteira foi desenvolvida pela equipe técnica da Sespa para agilizar a distribuição aos 144 municípios, enquanto o envio da Caderneta da Criança, do governo federal, não for normalizado.  Segundo a coordenadora estadual de Saúde da Criança, Ana Cristina Guzzo, os Estados ainda não receberam o quantitativo referente a 2021.

“Estamos com um problema de descontinuidade do envio dessa caderneta pelo Ministério da Saúde, estamos sem previsão de chegada para esse ano, e é um documento que é muito importante de ser entregue ainda na maternidade, quando o bebe nasce, independente de ser numa maternidade pública ou privada. O Estado tomou para si essa responsabilidade e, para não ter atraso nessa assistência, decidimos criar um instrumento que pudesse substituir, provisoriamente, a caderneta até a chegada do documento oficial, para que a família e os profissionais de saúde, não percam as informações do desenvolvimento da criança”, explica.

Por esse motivo, a versão paraense da caderneta foi rebatizada de Carteira da Criança, numa versão reduzida e com recomendações para crianças com até dois anos de idade. “Para ser enviada aos municípios, a Sespa fez um layout regionalizado nos modelos menino e menina, mas o conteúdo foi todo baseado no documento feito pelo Ministério da Saúde”, avalia Ana Guzzo.

“Dessa forma, foram mantidas as ações previstas nos eixos da Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Criança (PNAISC), que são fundamentais para a qualidade e segurança do cuidado, pois com esse documento há garantia da continuidade do cuidado entre diferentes pontos de atenção, estratégia fundamental para a melhoria dos indicadores de saúde infantil”, alega.

Durante a transmissão do lançamento feita ao vivo nesta segunda-feira, 21, Ana Guzzo apresentou o novo documento aos técnicos das Secretarias de Saúde de mais de 40 municípios paraenses. No evento, a carteira foi apresentada e orientações foram repassadas para o uso do documento que, na análise da coordenadora, demanda maior interação entre os pais, responsáveis, comunidade e os profissionais de educação e da assistência social.

Serão informações fundamentais para a qualidade e segurança do cuidado estejam disponíveis e de fácil acesso e consulta para a família e para as equipes de saúde. A distribuição será feita de forma gratuita e terá uma versão digitalizada, em PDF, que poderá ser impressa pelos municípios.

 

(Com informações de Melina Marcelino)

Você pode gostar...