Em 15 meses, Hospital de Campanha, no Hangar, atende mais de 7 mil

Em 15 meses, Hospital de Campanha, no Hangar, atende mais de 7 mil

22 de julho de 2021 Off Por Roberta Vilanova

Agradecimento e esperança são sentimentos que se misturam após a superação da doença

Desde sua abertura, em abril de 2020, o Hospital de Campanha em Belém, instalado no Hangar – Centro de Convenções, já realizou mais de 7 mil atendimentos a pacientes com Covid-19, confirmando assim seu papel crucial para o enfrentamento da pandemia. Boletim divulgado as 09 h desta quinta-feira (22), pela Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), registra a marca de 7.061 pessoas assistidas em 15 meses. Em todo o Estado, já são 531.545 pacientes recuperados da doença.

“Assim como em todas as unidades estaduais que recebem pessoas com Covid-19, no HC do Hangar a dedicação dos profissionais é incansável em cuidar dos pacientes, uma das razões para vermos atualmente a diminuição do número de casos. Mas vale sempre lembrar: é importante continuarmos com as medidas de prevenção contra a doença e atentos ao calendário de vacinação organizado por cada município”, reforça o titular da Sespa, Rômulo Rodovalho.

Em 15 meses de funcionamento, o Hospital de Campanha é fundamental no combate à pandemia

Bárbara Freire, diretora técnica da unidade, ressalta os resultados do empenho de toda a equipe. “O número de atendimentos prestados confirma o cuidado que temos com cada paciente aqui dentro. Sabemos que o enfrentamento da Covid-19 não é fácil, mas nossos esforços estão voltados para a recuperação dos pacientes, com uma assistência dedicada e de qualidade, voltada para a recuperação e alta de todos”, afirma a gestora.

O número de recuperados de Covid no Hospital de Campanha já ultrapassa 4.700

Avaliação positiva – Flávio Meirelis Souza, 33 anos, natural de Baião, município da região do Baixo Tocantins, esteve internado no Hospital de Campanha, e fez uma avaliação positiva do atendimento recebido dos profissionais. “Tive muita fraqueza. Perdi olfato e paladar, comecei a ter dor de cabeça, febre. Fiz a medicação indicada e melhorei. Mas no sétimo dia comecei a ter falta de ar. Internei em Baião, o exame deu positivo e começaram a tratar minha transferência para Belém. Fiquei sete dias internado, e tive alta quando já estava bem. Todos ali são muito atenciosos. Havia sempre uma preocupação em saber como estávamos, estimulavam a gente a andar, a ir ao banheiro. Tudo isso ajudou muito na minha recuperação. Só tenho a agradecer”, relatou.

Neste momento estão internados 80 pacientes, sendo 46 em leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), o equivalente a 58% de ocupação, além de 42% de ocupação de leitos clínicos. Além de mais de 7 mil atendidos, o boletim da Sespa registra 335 transferências, 4.747 altas e 1.979 óbitos.

Texto: Carol Menezes/Secom

Fotos: Alex Ribeiro, Ricardo Amanajás e Marcelo Seabra/Ag. Pará