Estado aplica vacinas contra Covid em 91% dos custodiados em Belém

Estado aplica vacinas contra Covid em 91% dos custodiados em Belém

19 de julho de 2021 Off Por Roberta Vilanova

A meta é vacinar, até o final de julho, 15.682 internos no Pará

Em Belém, 1.123 custodiados do Sistema Penitenciário já receberam a primeira dose de vacinas contra a Covid-19, número que representa 91% do total de pessoas privadas de liberdade na capital paraense. A aplicação das doses foi iniciada em 1º de julho, tendo sido intensificada no último sábado (17).

Os dados, atestados pela Secretaria Municipal de Saúde de Belém (Sesma), reforçam o compromisso do Governo do Pará com novas políticas de gerenciamento do sistema penitenciário, priorizando principalmente a saúde dos internos e servidores durante a pandemia.

Meta para julho – A vacinação, ao lado de todas as medidas adotadas pelo Estado no enfrentamento da Covid-19, garantiu que, até o momento, não tenha sido registrado nenhum óbito pela doença entre a população carcerária. O objetivo da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) é imunizar, até o final de julho, toda a população privada de liberdade do Pará, que totaliza 15.682 internos.

No Complexo Penitenciário de Santa Izabel, na Região Metropolitana de Belém, onde está o maior número de custodiados (5.182), 61% já foram vacinados. No interior do Estado, a vacinação alcançou 77% dessa população.

De acordo com o secretário de Estado de Administração Penitenciária, Jarbas Vasconcelos, a vacinação é o principal método de prevenção contra a Covid-19, e está sendo executada de forma intensa no sistema prisional paraense. “Já disponibilizamos 100% da vacinação dos servidores, e agora estamos rumo aos 100% dos custodiados. As medidas de prevenção e combate ao coronavírus são executadas desde o primeiro caso registrado no Brasil. O resultado disso é a saúde dentro das casas penais do Estado”, afirmou o secretário.

As medidas para conter os casos de infecção pelo novo coronavírus começaram em 2020 com a criação, implementação e execução do Plano de Contingência, criado pela Seap com apoio da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa).

A partir do Plano, todas as casas penais e sedes administrativas reforçaram os procedimentos de higienização, os equipamentos de proteção individual (EPIs), o cumprimento dos protocolos de segurança, as ações para diminuir riscos à saúde e o tratamento imediato aos infectados, sejam servidores ou custodiados.

Texto: Vanessa Van Rooijen/Seap
Foto: Ag. Pará