Hospital Abelardo Santos é reconhecido no atendimento à Covid-19 em projeto nacional do SUS

Hospital Abelardo Santos é reconhecido no atendimento à Covid-19 em projeto nacional do SUS

23 de agosto de 2021 Off Por Roberta Vilanova

O projeto nacional conta com a parceria do Hospital Sírio-Libanês

Estratégico no atendimento a pacientes com a Covid-19, em todos os momentos de pico da doença no Pará, o Hospital Regional Dr. Abelardo Santos (HRAS), localizado no distrito de Icoaraci, em Belém, ganha reconhecimento nacional, levando toda a gama de experiências adquiridas na pandemia e os resultados positivos no combate à Covid-19 a outros hospitais do Brasil. A unidade paraense foi incluída no Projeto Reab Pós-Covid-19, do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (Proadi-SUS), devido à sua representação diante aos cuidados com os pacientes infectados pelo novo coronavírus.

O HRAS é a única instituição de saúde do Norte do País a apresentar seu plano de trabalho de enfrentamento à pandemia no II Workshop Reab Pós-Covid-19, realizado nesta segunda-feira (23), em São Paulo (SP).

O evento, que ocorre no Hospital Sírio-Libanês, mobiliza, indiretamente, quase 6,8 mil profissionais do SUS, com potencial de impactar 2.900 instituições de saúde em todos os estados, por meio de seus representantes, desde o ano passado. Incluído no cronograma da programação, o Hospital Regional Dr. Abelardo Santos, representado pelo seu diretor-executivo, Marcos Silveira, fez uma apresentação sobre o tema “Abordagem dos doentes críticos e de cuidados prolongados”.

“O Hospital é referência no tratamento do novo coronavírus, por decisão do governo do Estado, através da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa). Durante a pandemia tivemos períodos de mudanças no seu perfil de atendimento especializado, para o atendimento exclusivo à Covid-19. Em 2021, a unidade operou com 65% da sua capacidade no acolhimento à doença, com 95 leitos na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 125 clínicos, totalizando 220”, informou o gestor do “Abelardo Santos”.

Marcos Silveira também acrescentou que o projeto nacional visa provocar o contexto da reabilitação, diante da “necessidade de devolvermos o paciente à sociedade de forma que ele consiga retornar a suas atividades e rotinas anteriores à doença. Vamos avaliar a criação de uma linha de cuidados aos pacientes pós-alta que ficaram com sequelas, dentro de um contexto que envolve outras unidades da rede estadual”, reiterou o diretor.

Enfrentamento – No ano passado, diante do aumento de casos de Covid-19 no Estado, o HRAS passou a ofertar o serviço de Pronto Atendimento para casos leves, moderados e graves da doença. Assim, teve o atendimento eletivo suspenso no ambulatório e o fechamento da “porta” de urgência e emergência nos setores de atendimento infantil, obstétrico e ginecológico.

“Dentro do plano estratégico de enfrentamento ao novo coronavírus, a Sespa destacou o Hospital, na primeira e segunda onda da pandemia no Estado, para o tratamento da doença. E atingimos resultados positivos, com um grande número de altas. Isso demonstra o quanto o Governo do Pará agiu rapidamente, garantindo atendimento qualificado à população. Ser referência no combate à pandemia diante a Projetos Nacionais é o resultado de todo o empenho e trabalho voltado para salvar vidas”, destacou Rômulo Rodovalho, secretário de Estado de Saúde Pública.

Além do Hospital Regional Dr. Abelardo Santos, os demais participantes do evento foram o Complexo de Doenças Infecto-Contagiosas Clementino Fraga, na Paraíba; o Hospital e Pronto Socorro Municipal de Cuiabá, no Mato Grosso; o Hospital Municipal Ronaldo Gazolla, no Rio de Janeiro, e o Hospital de Clínicas de POA, no Rio Grande do Sul.

Reconhecimento – A médica líder do Projeto Reabilitação Pós-Covid-19, Amanda Pereira, reforçou a importância da unidade para o Brasil. “O Projeto Reab Pós-Covid-19 felicita e parabeniza a presença da diretoria do Hospital Abelardo Santos, e agradece a disponibilidade. Os números apresentados contribuíram, e muito, para entendermos a realidade do Hospital. O time Reab e Proadi-SUS conta com o apoio e reafirma a parceria com esse Hospital. Com certeza, teremos bons resultados em benefício dos pacientes que necessitam de reabilitação”, ressaltou.

A médica falou também sobre os próximos passos da iniciativa. “Nossa expectativa é que este novo ciclo tenha resultados ainda mais expressivos, visto que teremos uma duração maior. Enquanto o ciclo zero teve 30 dias úteis, os próximos terão duração de quatro meses. É importante ressaltar as três principais importâncias desta iniciativa: promover a reabilitação dos pacientes; apoiar a retomada das atividades do Hospital interrompidas por Covid e implementar o protocolo de alta segura”, acrescentou Amanda Pereira.

Metodologia – O Reab Pós-Covid é realizado pelo Hospital Sírio-Libanês, em parceria com o Ministério da Saúde e apoio do Conass (Conselho Nacional dos Secretários de Saúde) e Conasems (Conselho Nacional das Secretarias Municipais de Saúde). O projeto utiliza a metodologia Lean, a mesma da iniciativa de gestão “Lean nas Emergências” do Sírio-Libanês, o que permite promover a retomada segura das atividades hospitalares eletivas anteriores à pandemia, dependendo da dinâmica da doença nas regiões do Brasil, além de uma maior organização e otimização dos serviços hospitalares, diminuição de desperdícios, melhoria do giro de leitos e estabelecimento de uma nova linha de cuidado entre os hospitais e a Atenção Primária à Saúde.

Essa força-tarefa utiliza as frentes de trabalho do Proadi-SUS como gestão, avaliação de tecnologia e capacitação de recursos humanos, diante da atual necessidade de tratar pacientes suspeitos e confirmados com a Covid-19, fortalecendo a segurança de profissionais da saúde, acompanhantes e pacientes atendidos no Sistema Único de Saúde (SUS).

Texto: Roberta Paraense/HRAS

Foto: Divulgação