Hospital Divina Providência já realizou mais de 1,5 mil cirurgias ortopédicas em oito meses

Hospital Divina Providência já realizou mais de 1,5 mil cirurgias ortopédicas em oito meses

6 de agosto de 2021 Off Por Roberta Vilanova

Com o atendimento ampliado em traumatologia pelo regime de portas-abertas, durante 24 horas, o Hospital Divina Providência, em Marituba, na Região Metropolitana de Belém, já realizou 1.546 procedimentos cirúrgicos ortopédicos entre 14 de dezembro de 2020 e 05 de agosto deste ano. Ainda no mesmo período, 5.163 pessoas foram assistidas pelo serviço de pronto atendimento em trauma disponível na Unidade.

Essa marca foi alcançada devido à parceria mantida com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), que repactuou o contrato com a Unidade em fevereiro deste ano e dinamizou o atendimento em trauma-ortopedia em municípios da Grande Belém.

A partir desse ajuste, o Hospital Divina Providência tem atuado como retaguarda para o Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE), de Ananindeua. O primeiro tem sido portas abertas por 24 horas para atendimentos de baixa e média complexidades em ortopedia, como fraturas simples, e os mais complexos são encaminhados ao Metropolitano.

Para o secretário de Saúde do Pará, Romulo Rodovalho, o quantitativo de cirurgias já realizadas atende aos objetivos da gestão: fazer a regulação rápida desses pacientes, focando nas unidades de portas abertas exatamente para acelerar o atendimento.

“Nosso objetivo é prosseguir na desburocratização ao acesso dos pacientes para que sejam logo assistidos. Desafogamos o Hospital Metropolitano e possibilitamos um acesso rápido ao atendimento do paciente fraturado de baixa e média complexidade. Nós estamos comunicando às secretarias municipais de Saúde para colocarem o paciente na ambulância e encaminharem esses casos para o “Divina Providência”, onde teremos duas equipes de ortopedia trabalhando 24 horas por dia. Uma fará o atendimento de porta aberta; outra, operações no bloco cirúrgico”, explicou o secretário.

Segundo o diretor administrativo do Hospital Divina Providência, Fernando Alves Tchilunda, a Unidade já havia se adaptado para atender a essa nova demanda. “Os números mostram que a parceria com a Sespa tem sido de grande relevância porque estamos cumprindo o atendimento aos pacientes de Marituba, da Região Metropolitana de Belém e até de outros municípios. O fluxo está se cumprindo”, afirmou.

O Hospital Divina Providência já oferece atendimento de portas-abertas, ou seja, não há necessidade de encaminhamento, também na área de obstetrícia.

Ampliação – Com a melhora dos índices da Covid-19 no Estado, a Sespa retomou projetos importantes e um deles é continuar implementando portas-abertas na especialidade ortopedia por todo o Pará.

Em janeiro deste ano, o Hospital Regional do Tapajós (HRT), em Itaituba, no sudoeste do Pará, iniciou o atendimento em traumatologia pelo regime de portas-abertas para os casos graves e não graves, somando mais de 500 cirurgias. Já em fevereiro, o atendimento de ortopedia foi iniciado no Hospital Divina Providência, em Marituba.

Voltada à população da região de integração do Araguaia, o serviço de portas-abertas 24 horas em traumatologia passou a ser feito também pelo Hospital Regional de Conceição do Araguaia, que já ultrapassou 2 mil cirurgias ortopédicas, enquanto casos mais complexos seguem encaminhados ao Hospital Regional de Redenção.

A mudança também aconteceu em Abaetetuba, onde o Hospital Regional do Baixo Tocantins – Santa Rosa iniciou o atendimento de portas abertas para casos de baixa e média complexidade em ortopedia, no dia 10 de maio, que já somaram mais de 500 procedimentos ortopédicos.

Texto: Mozart Lira/Sespa