Hospital Galileu e Sespa promovem mutirão de serviços de saúde e beleza para os homens ao som da Banda da PM

Hospital Galileu e Sespa promovem mutirão de serviços de saúde e beleza para os homens ao som da Banda da PM

16 de novembro de 2021 Off Por Roberta Vilanova

Ação oferecer atendimento auricular aos usuários

Uma programação em defesa da saúde do homem movimentou o Hospital Público Estadual Galileu (HPEG), na Grande Belém, nesta terça-feira (16). Alusivo à Campanha Novembro Azul, a unidade, referência do Governo do Estado em traumatologia, em parceria com as coordenações de Saúde do Homem, do Idoso e da Saúde Bucal da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), ofereceu um leque de serviços de autocuidados aos seus usuários, colaboradores e ainda, aos policiais da Banda de Música da Polícia Militar do Pará.

A ação, que teve o como principal objetivo o alerta ao público masculino sobre a importância do cuidado com a saúde e a prevenção do câncer de próstata, foi celebrada com palestras, orientação de profissionais de saúde, massagens, atendimento auricular, encaminhamento para exames e consultas, sessões de tratamento de pele e mais: muita música promovida pela banda da PM.

“Conscientizar a população e preveni-la sobre os cuidados com a saúde e das doenças como o câncer de próstata, por exemplo, é motivo de muita alegria dentro de uma unidade hospitalar. Hoje, cerca de 80% do público atendido no Galileu é de homens. E, por isso, celebramos a Campanha Novembro Azul com festa e uma pluralidade de serviços que promovam, além do estar físico, o bem-estar emocional dos nossos pacientes, acompanhantes e colaboradores”, explicou Alexandre Reis, diretor executivo do Hospital Público Galileu.

Satisfação – O eletricista Edmilson Cabral, de 42 anos, está internado no HPEG desde o dia 9 de novembro, devido ao acidente que sofreu enquanto fazia manutenção em uma rede elétrica. O poste que apoiava a sua escada partiu no meio e, assim, sofreu fratura nos dois pulsos. Ele participou da ação e considerou relevante. “Muito bom esse evento para nós homens, eu mesmo demorei a me cuidar e ir ao médico, e vejo esse evento como uma oportunidade para gente refletir sobre esses cuidados”, afirmou o paciente.

Já o autônomo Josiel Gomes, 40 anos, que foi transferido do município de Curralinho, no Marajó, para o Hospital Galileu, se emocionou com as melodias e o alerta em tom festivo. “Foi uma programação linda. A música faz bem e as orientações trazem pra gente um alerta. Quem está internado fica ansioso e tenso com o tratamento, mas recebemos até massagem para a gente se sentir melhor”, brincou o usuário que há dez dias está na unidade, para a recuperação de um acidente que acometeu o tendão esquerdo.

Quem também se beneficiou com a massagem foi o mototaxista Antônio Aviz, de 50 anos. Ele fraturou o cotovelo direito, enquanto destelhava a sua casa e está na unidade há uma semana.  “Isso tudo faz a gente se sentir melhor e tirar o estresse de uma internação. Gostei da música e mais ainda da massagem. Isso sem falar no  alerta sobre o câncer que é algo valioso”, elogiou.

Banda de Música da Polícia Militar

Bem-estar – Durante a programação, os militares apresentaram um repertório variado com canções de diversos estilos e ritmos. O subtenente Jorge Freitas, regente da Banda de Música da Polícia Militar, destacou a importância da melodia para o ser humano. “A música tem um poder curativo, quem toca uma música, chega ao coração das pessoas que estão ouvindo. E isso mexe com a gente também”, comentou o policial.

O evento promovido pelo setor de Humanização do Hospital Galileu, teve ainda, o intuito de promover o bem-estar dos usuários e colaboradores. “O Novembro Azul, assim como o Outubro Rosa, são campanhas nacionais de alerta aos tipos de cânceres com maior incidência em homens e mulheres. Porém, além de disseminar as informações sobre as doenças, temos como finalidade, promover o entendimento, o bem-estar e a autoestima dos nossos usuários. O evento contemplou o físico e o emocional do público”, observou a enfermeira Anny Segóvia, coordenadora de Humanização do Hospital Galileu.

Parceria – Na ação, a Coordenação Estadual da Saúde do Homem disponibilizou aos usuários do Galileu, o encaminhamento para a realização de exames e consultas em outras unidades da rede estadual. “Estamos oferecendo aos usuários do hospital, sobretudo, os acima de 50 anos, uma série de exames na Policlínica Metropolitana. O objetivo é fazer com que esses homens procurem os serviços de saúde ainda de forma preventiva. Percebemos nesse público, uma barreira para o autocuidado, por isso, esse tipo de evento é importante para a Sespa junto às unidades”, frisou Diego Cutrim, coordenador estadual de Saúde do Homem.

Cutrim também destaca que o homem tem uma expectativa de vida sete anos menor do que a das mulheres e que o câncer de próstata é o segundo mais incidente na população masculina do Pará, ficando atrás do de estomago. “Pensando nisso, trouxemos banner e folders que falam sobre a saúde integral do homem, abordando o câncer de próstata e de pênis, além informações sobre a saúde bucal e segurança no trânsito, para disseminar essa cultura do cuidado com a saúde”, completou.

Participantes receberam orientação sobre saúde bucal

Para Alessandra Amaral, coordenadora de Saúde Bucal da Sespa, a ação é uma união de esforços em benefício à saúde. “Os cuidados com o corpo começam pela boca. Nestes eventos, são repassadas as orientações sobre os cuidados com a dentição, através de palestras educativas e preventivas, ensinando a correta escovação, a importância das consultas semestrais e alertando para a alta incidência de câncer de boca também”, reforçou.

Fazendo parte das orientações, o evento também contou com a Coordenação da Saúde do Idoso, com a prática da auriculoterapia que consiste na estimulação de pontos nas orelhas, sendo, semelhante à acupuntura e os serviços de massoterapia e consultoria de cuidados com a pele. Além disso, os pacientes puderam se enxergar no mural afetivo, com suas fotos fixadas para o reconhecimento do seu ‘eu’.

Perfil – O Hospital Galileu é referência na Rede Estadual do Pará em atendimentos de traumas ortopédicos. Administrado pelo Instituto de Saúde Social e Ambiental da Amazônia – ISSAA, a unidade recebe usuários regulados pela rede estadual de saúde, por ser retaguarda de pacientes que necessitam de tratamento especializado em traumatologia, sobretudo, com a maior incidência de acidentes de trânsito, contabilizando cerca de 80% dos casos.

Texto: Roberta Paraense /HPEG