Médicos relatam a rotina para salvar vidas no Hospital Abelardo Santos

Médicos relatam a rotina para salvar vidas no Hospital Abelardo Santos

18 de outubro de 2021 Off Por Roberta Vilanova

O Hospital Regional Abelardo Santos conta com o trabalho de 255 médicos

Uma rotina cercada de desafios e a lida com a dor e/ou com a recuperação da saúde das pessoas tornam os 255 médicos do Hospital Regional Dr. Abelardo Santos (HRAS) verdadeiros heróis da sociedade contemporânea. Ao longo dos dois anos de inauguração da maior unidade hospitalar da Rede Estadual de Saúde Pública, localizada em Icoaraci, distrito de Belém, esses profissionais já passaram por diversos períodos de sazonalidade, na busca de salvar a vida de milhares de paraenses.

O anestesiologista Carlos Henrique de Menezes passou pela primeira e segunda onda da pandemia do novo coronavírus no HRAS. Ele lembra, com detalhes, um dos momentos mais difíceis da sua carreira. “Eu iniciei no HRAS no auge da pandemia. Atuava na sala vermelha, atendendo os pacientes mais graves que chegavam ao hospital com síndrome respiratória aguda. Lá, fazíamos a estabilização desses pacientes, presenciamos várias intubações e muitos óbitos”, contou.

O médico, que hoje não faz mais parte da linha de frente dos pronto-atendimentos, nutre um sentimento de satisfação por ter colaborado com esse entrave contra a doença ainda desconhecida. “Esse foi um momento grave e marcou a história da humanidade. Era uma catástrofe global que estava acometendo a todos nós. Assim, me sinto satisfeito por ter exercido a minha contribuição à sociedade”, relembrou o anestesiologista que, atualmente, está na função de coordenador médico do HRAS.

“Presenciei muitos momentos marcantes na pandemia, e no início deste ano, tive a satisfação de iniciar um serviço na parte administrativa do hospital com uma nova experiência, que é de fundamental importância para o funcionamento do hospital”, destacou Menezes.

Exercer a pediatria é um grande desafio

Pediatria – HRAS é porta aberta 24 horas na pediatria, com uma média de 90 crianças atendidas diariamente. O desafio de quem lida com esses pequenos doentes também é grande. Em oito anos de profissão, o médico Rafael Bonfim atua desde 2019 no HRAS, no Pronto-Socorro infantil.

“A cada dia, temos um crescimento no volume de atendimentos de crianças que chegam na urgência e emergência. Algumas são encaminhadas para UTI ou para a internação na enfermaria, essa situação é difícil. Porém, o Abelardo é um hospital que fornece boas condições para o atendimento de pacientes, conta com exames de laboratório e de imagens e com laudos emergenciais”, observou o pediatra.

Para Rafael, atuar em uma unidade com uma infraestrutura de ponta auxilia no trabalho do profissional. “Temos sazonalidades nas doenças e atendimentos. Nos veraneios, por exemplo, são muitas gastroenterites, e o hospital chama atenção pelos subsídios para atender a esses casos. Isso dá suporte para o médico fechar o diagnóstico. Na assistência, nos esforçamos para dar o nosso melhor e atender as necessidades dos pacientes”, explicou o pediatra.

Especialidades – Em 10 anos de profissão, o médico Humberto Reale faz atendimento no Abelardo Santos, atuando na especialidade de Angiologia e Cirurgia Vascular, abrangendo atendimentos clínicos e cirúrgicos, seja em nível de internação hospitalar ou consulta ambulatorial. “Tratamos de doenças circulatórias das veias, artérias e vasos linfáticos. O nosso maior desafio é devolver a qualidade de vida ao nosso paciente, permitindo que retorno às suas atividades diárias, com maior nível de autonomia possível, o que inclui cicatrização de ferimentos vasculares, reabilitação física pós-amputações e combate às varizes, por exemplo”, frisou o cirurgião vascular.

O Dia do Médico é celebrado em 18 de outubro, data associada pela Igreja Católica a São Lucas, que era médico

Comemoração – Como forma de agradecer a esses profissionais, no Brasil, o Dia do Médico é celebrado em 18 de outubro, data associada pela Igreja Católica a São Lucas, que era médico e, por isso foi declarado o padroeiro (patrono, inspirador ou “santo protetor”) da profissão.

“O médico é o profissional fundamental no processo do cuidado, a ele é depositado confiança na melhora da doença e até mesmo no reestabelecimento da vida. A medicina atual exige muito destes profissionais onde sempre estão se atualizando buscando as melhores práticas terapêuticas. Os desafios e as adversidades de cada caso atendido, mostram tamanha dedicação, competências e respeito destes profissionais com a profissão e com o paciente. Hoje, o HRAS, conta com um quadro desses profissionais altamente qualificados e, o mais importante, humanizados para o atendimento à sociedade”, parabenizou Marcos Silveira, diretor executivo do Regional Abelardo Santos.

Para o secretário de Saúde, Rômulo Rodovalho, os médicos merecem constantes reconhecimentos. “O Governo do Estado reconhece a relevância desses profissionais e os parabeniza pela dedicação em prol da vida humana. Atualmente, o HRAS, conta com 255 profissionais, nas áreas de Cardiologia, Pediatria, Endoscopia, Terapia Intensiva, Cirurgia Geral, Obstetrícia, Radiologia, Nefrologia, Neurologia, Cirurgia Pediátrica, Cirurgia Torácica, Urologia, Cirurgia Vascular, Clínica Médica, Hematologia, Mastologia e Ginecologia São profissionais altamente qualificados para dar uma assistência de qualidade à população”, enfatizou o titular da pasta.

Índices – De acordo com o estudo Demografia Médica no Brasil 2020, o país tem, proporcionalmente, mais do que o dobro de médicos que tinha no início do século. Em 2000, eram 230.110, e saltou, em 2020, para 502.475 profissionais. Nesse período, a relação de médico por mil habitantes também aumentou significativamente, na média nacional. Passou de 1,41 para 2,4. No entanto, mesmo com o aumento no número dos profissionais, há desigualdade na distribuição: em estados das regiões Sudeste e Sul e em cidades mais ricas a proporção é muito maior. Nas capitais brasileiras, essa média fica em 5,65 médicos por grupo de mil habitantes.

Texto: Roberta Paraense/HRAS

Fotos: Divulgação