Profissionais de saúde de Itaituba são capacitados em saúde infantil

Profissionais de saúde de Itaituba são capacitados em saúde infantil

11 de outubro de 2021 Off Por Roberta Vilanova

A Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) iniciou, nesta segunda-feira (11), em Itaituba, na região Sudoeste, a sexta oficina para capacitação de profissionais de saúde na Estratégia Atenção Integrada às Doenças Prevalentes na Infância (AIDPI), que foi retomada pelo governo do Estado em 2020, para qualificar a Atenção à Saúde da Criança no Pará.

A estratégia foi elaborada pela Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), Organização Mundial da Saúde (OMS) e Fundo das Nações Unidas para Infância (Unicef), em 1996, com o objetivo de reduzir a mortalidade de crianças menores de cinco anos de idade em países subdesenvolvidos.

Oficina realizada no início de outubro no município de Breves, no Arquipélago do Marajó

Segundo a coordenadora estadual de Saúde da Criança, Ana Cristina Guzzo, a AIDPI está inserida na Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Criança (PNAISC), com a finalidade de implementar a atenção integral e integrada à saúde das crianças na faixa etária entre dois meses a menores de cinco anos. “A estratégia visa qualificar os profissionais de saúde da atenção primária para garantir a melhor resolução das condições mórbidas prevalentes na infância, utilizando uma metodologia que organiza e estrutura essa assistência”, explicou.

Nesse recomeço, a Sespa, com apoio da Opas, já formou 21 multiplicadores, que agora compõem o grupo de profissionais de saúde que atuam em oficinas de formação nos diversos municípios.

De acordo com o Ministério da Saúde, a estratégia AIDPI se alicerça em três pilares básicos: capacitação de recursos humanos no nível primário de atenção, com a consequente melhoria da qualidade da assistência prestada; reorganização dos serviços de saúde, na perspectiva da AIDPI, e Educação em Saúde, para que haja a participação de todos na identificação, condução e resolução dos problemas de saúde, especialmente nos menores de cinco anos de idade.

Prática em ambulatório faz parte do conteúdo programático das oficinas realizadas pela Sespa

Oficina – Durante cinco dias, mediante atuação de multiplicadores formados pela Opas, os participantes atuam em dinâmicas envolvendo temas como avaliação e classificação da criança doente de dois meses a cinco anos com diarreia, febre, problema no ouvido, garganta, tosse ou dificuldade para respirar; avaliação e classificação da desnutrição, anemia, problemas de crescimento; prática em ambulatório e/ou Unidade Básica de Saúde; aconselhamento da mãe ou cuidador; consulta de retorno; vigilância do desenvolvimento, além de violência contra criança. No final, é aplicado um teste, que avalia as aquisições do profissional no curso.

Andréa Salgado, Claudenice Cardoso e Adria Greice da Silva

Em Itaituba, a oficina está sendo ministrada pelas técnicas do 9º Centro Regional de Saúde da Sespa, Andréa Leite de Alencar Salgado e Claudenice Ferreira Pereira Cardoso, e pela técnica da Secretaria Municipal de Saúde de Itaituba, Adria Greice da Silva Fernandes.

A última oficina foi concluída no município de Breves, no Arquipélago do Marajó, na sexta-feira (08), com a capacitação de 30 profissionais. Também foram formados 30 profissionais em Altamira, no Oeste; 30 em Bragança, no Nordeste; 14 em Pacajá, no Sudeste, e oito em Anapu, também no oeste paraense, totalizando 112 profissionais capacitados em AIDPI. “Com a estruturação da atenção básica nesses municípios pode-se considerar beneficiada a população de até cinco anos de idade”, concluiu Ana Cristina Guzzo.

Texto: Roberta Vilanova/Sespa
Fotos: Divulgação