Sespa e Segup concluem ações pelo Mês da Consciência Negra

Sespa e Segup concluem ações pelo Mês da Consciência Negra

11 de novembro de 2021 Off Por Mozart Lira

Para marcar o mês da Consciência Negra, a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) e a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (Segup) concluíram nesta quinta-feira, 11, no Quilombo do América, em Bragança, as ações de saúde e cidadania.

A programação, que iniciou nesta terça-feira, 09, incluiu atendimento médico com clínico geral, ginecologista, pediatra, além de assistência farmacêutica, regulação para consultas em especialidades, testes rápidos para HIV, hepatites B e C e sífilis, verificação de pressão arterial e glicemia, distribuição de kits de saúde bucal e emissão de 100 carteiras de identidade.

Na ocasião, a Sespa disponibilizou as equipes técnicas das Coordenações de Saúde Bucal, Saúde do Idoso, Saúde do Homem e de Saúde Indígena e Populações Tradicionais para palestras educativas voltadas para a higiene bucal, adoção de hábitos de qualidade vida para pessoas acima de 60 anos, saúde integral do homem, anti-rascismo e valorização das personalidades negras. As ações atenderam cerca de 250 pessoas da comunidade.

Única comunidade quilombola de Bragança, América fica localizada na área rural do município, tem mais de 200 anos de existência e foi certificada pela Fundação Cultural Palmares no ano de 2015, após um processo de autoreconhecimento da identidade quilombola e de ações históricas sobre a valorização tradicional da presença cultural africana no cotidiano da comunidade.

“Na Sespa, durante o ano inteiro, atuamos para a construção de uma sociedade mais justa e igualitária, desenvolvendo políticas de promoção de saúde em que a igualdade racial está sempre inserida. Mas aproveitamos o mês de novembro, quando é celebrado o Dia da Consciência Negra no dia 20, para sensibilizar a população e trazer visibilidade para a importância desse tema, realizando ações de saúde e cidadania nos quilombos”, explica o secretário de Saúde do Pará, Rômulo Rodovalho.

Ele ainda destaca a ação como importante via de acesso a oportunidades e serviços sociais. “Nossas ações têm como principal objetivo dar voz as essas comunidades, pois os trabalhos que desenvolvemos reforçam as garantias que lhes são por direito”, explicou.