Seminário alusivo à campanha ‘Novembro Azul’ alerta sobre cuidados com a saúde do homem”*

Seminário alusivo à campanha ‘Novembro Azul’ alerta sobre cuidados com a saúde do homem”*

19 de novembro de 2021 Off Por Mozart Lira

Fotos de José Pantoja (Ascom/Sespa)

Realizado pela Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), o seminário alusivo à campanha “Novembro Azul” reuniu mais de 100 profissionais de saúde inscritos nesta sexta-feira, 19, no auditório da Secretaria. A ocasião foi pra se debater aspectos da prevenção e a promoção dos cuidados integrais com a saúde do homem, visando reverter estatísticas que apontam a indiferença masculina em relação à prevenção de doenças e, ao mesmo tempo, a mortalidade por agravos que poderiam ser evitados.

A coordenadora de Atenção Oncológica da Sespa, Patrícia Martins

Orientada a partir da Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem (PNAISH), do Ministério da Saúde, a campanha deste ano, realizada pela Sespa, tem abordado a importância do pré-natal do parceiro como estratégia de autocuidado, a prevenção das infecções sexualmente transmissíveis (IST) e das doenças crônicas não transmissíveis (DCNT), a preparação para o exercício da paternidade responsável e a redução de violência doméstica.

Durante a abertura do seminário, o coordenador de Saúde do Homem da Sespa, Diego Cutrim, traçou um panorama sobre o assunto. “Objetivo é inserir o debate acerca da saúde da população masculina na perspectiva da saúde integral do homem, ampliando o foco para além do câncer de próstata, uma vez que os homens se recusam a admitir a dor, agem com fortes sentimentos de autoproteção e dificultam a autopercepção para o tratamento de eventuais doenças. Isto acaba afastando-os do cuidado com a saúde”, considerou.

Nesse contexto, a mobilização realizada ao longo do mês tem recomendado aos municípios que reforcem as ações em favor da diminuição de doenças crônicas, como hipertensão arterial e diabetes, e outras mais graves, como as infecções sexualmente transmissíveis (ISTs), a exemplo do HIV/Aids, sífilis e hepatites, os cânceres de próstata e de estômago – os mais recorrentes entre os homens, a obesidade e as doenças renais relacionadas ao uso de drogas ilícitas e à automedicação.

A enfermeira Juliana Benjamim, que atua na Unidade Básica de Saúde da Providência, em Belém

O câncer de pênis deve receber atenção especial, uma vez que a incidência ocorre principalmente nas regiões Norte e Nordeste e treze municípios paraenses foram contemplados pela portaria n°3.069 de 11 de novembro de 2020, que institui um projeto-piloto para o desenvolvimento de ações voltadas à prevenção e tratamento do câncer de pênis a partir da Atenção Primária à Saúde.  A questão também é relacionada à importância da imunização de HPV para crianças e adolescentes e à prevenção da doença relacionada a higiene adequada do órgão genital.

Pelas estatísticas do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DataSUS), que reúne dados inseridos por todos os municípios brasileiros, entre 1º de janeiro e 30 de agosto deste ano foram registradas 86.513 internações masculinas no Pará – pessoas maiores de 20 anos. As principais causas foram por doenças infecciosas e parasitárias (24.364); causas externas (19.669), como esfaqueamentos, traumatismos e envenenamentos; seguidas por doenças do aparelho digestivo (9.175); doenças do aparelho circulatório (7.104) e doenças do aparelho respiratório (6.183).

Em 2020, dados preliminares do Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM), do DataSUS, as doenças infecciosas e parasitárias lideraram o ranking de mortes de homens no Pará, com 6.272 óbitos; seguidas por doenças do aparelho circulatório (5.871); causas externas (5.214); doenças do aparelho respiratório (3.618) e cânceres (2.673).

Durante o seminário, a coordenadora de Atenção Oncológica da Sespa, Patrícia Martins, falou sobre os óbitos por câncer: o de estômago tem sido o mais letal nos homens com residência no Pará. Só em 2020, causou a morte de 413 pessoas do sexo masculino, seguido pelo de próstata, responsável por 397 óbitos.

Em número de casos, segundo o DataSUS, em 2021 o câncer de estômago é o mais recorrente: 100 confirmados entre 1º de janeiro e 30 de setembro deste ano, seguido por 98 novos pacientes de câncer de próstata. A tendência não foi a mesma em 2020, então finalizado com 283 casos de câncer de próstata e 185 de estômago.

Em função desse cenário, a Sespa recomenda que é preciso intensificar as mobilizações a partir dos agentes comunitários de saúde, para aproximar a população masculina dos serviços de saúde mantidos pelos municípios e criar um vínculo com aqueles que, em geral, apresentam forte resistência antes de procurar assistência médica.

Convidada para o seminário para abordar a questão do pré-natal do parceiro, a enfermeira Juliana Benjamim, que atua na Unidade Básica de Saúde da Providência, em Belém, afirma que melhor maneira de mudar esse olhar é desenvolver ações inclusivas, nas quais os homens considerem os serviços de saúde também como espaços masculinos. “Chamamos atenção para o pré-natal do parceiro, em que trazemos o homem junto com a gestante na consulta e incentivamos ele a cria o hábito de se cuidar, fazer os exames, realizar os testes rápidos e saber o seu histórico familiar. Trazer esse pai para estar junto para exercer uma paternidade ativa é uma das nossas missões também”, conta.

Programação – Ao longo do mês, os profissionais que compõem a Coordenação Estadual de Saúde do Homem da Sespa tem atendido convites de instituições públicas e privadas para ministrar oficinas sobre a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem.

A Sespa também esteve engajada em uma série de atividades alusivas à campanha durante o mês, como ações educativas em órgãos públicos, escolas e comunidades quilombolas; ações educativas em parceria com o TerPaz e UsiPaz; webinários; ação de saúde para a população ribeirinha da ilha do Combu e o Dia D no Hospital Regional Abelardo Santos, com palestra e oferta de serviços. Ainda durante o mês, em Belém, tem sido ofertadas pela Poli Metropolitana 25 consultas por dia (de segunda à sexta) aos homens.