Hospital Regional Público do Araguaia, em Redenção, zera fila para cirurgia infantil

Hospital Regional Público do Araguaia, em Redenção, zera fila para cirurgia infantil

12 de outubro de 2021 Off Por Roberta Vilanova

Hospital Regional Público do Araguaia

A data dedicada à criança, 12 de outubro, também é o Dia do Cirurgião Pediátrico. No Hospital Regional Público do Araguaia (HRPA), na sede municipal de Redenção, no Sul do Pará, há um motivo muito especial para comemorar: não há fila de espera para cirurgias em crianças, que são atendidas em até 48 horas após a chegada à unidade de saúde. Com a retomada das cirurgias eletivas, o HRPA realiza esse procedimento em quatro dias da semana, e até quatro cirurgias por dia.

Devido à redução dos casos de Covid-19 no Pará, o Hospital Regional do Araguaia normalizou o atendimento em cirurgias eletivas para adultos e crianças, já totalizando, só neste ano, 224 procedimentos. “Durante o período crítico da pandemia, o Hospital reduziu a quantidade de cirurgias eletivas, o que criou uma demanda de espera. Mas com a retomada do funcionamento normal, não existe mais fila de espera”, informou o cirurgião pediátrico Ugo Bicego Queiroz.

Prevenção – Segundo o médico, a correção das doenças na primeira infância é fundamental para o bom desenvolvimento físico e psicológico. “As cirurgias eletivas durante a infância evitam o risco de a doença agravar. Por exemplo, a cirurgia de hérnia que, conforme o crescimento do paciente aumenta as chances de complicações. O procedimento cirúrgico diminui o risco de problemas na vida adulta”, explicou.

Os casos mais comuns tratados no Hospital são hérnia, fimose e hipospádia (malformação genética que provoca a abertura anormal da uretra). Também são realizados procedimentos intraparto, corrigindo malformações antes mesmo do nascimento. O cirurgião pediátrico Ugo Bicego disse que o HRPA foi pioneiro nesse método no Estado, em 2015, antes mesmo de ser adotado por hospitais em Belém.

Serviço: Pacientes pediátricos que necessitam de cirurgia devem ser encaminhados pelo serviço de saúde do município para consulta e marcação do procedimento necessário.

Texto: Débora Barbosa – Ascom/HRPA

Foto: Ascom/HRPA