Imagem peregrina da Virgem de Nazaré percorre o Hospital Abelardo Santos

Imagem peregrina da Virgem de Nazaré percorre o Hospital Abelardo Santos

31 de agosto de 2021 Off Por Mozart Lira

Eu acredito em milagre e foi um milagre sim”, afirmou a professora Tassiane Corrêa, filha de Zenóbia da Silva, de 68 anos, ao ver sua a mãe expressar com a face, sinais de emoção, após um mês internada, em decorrência de um Acidente Vascular Cerebral (AVC). O episódio foi registrado na tarde desta segunda-feira (30), no Hospital Regional Dr. Abelardo Santos – HRAS, em Icoaraci, distrito de Belém, durante a visita da Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Nazaré.

 

“Minha mãe passou três dias em coma. Durante um mês internada, ainda não esboçou nenhum movimento no rosto e, ao ver a santa, emitiu várias expressões. Foi lindo!”, concluiu a filha, emocionada. Os sentimentos de fé e de devoção invadiram a maior unidade hospitalar da Rede Estadual de Saúde do Pará, levando pacientes e colaboradores a se emocionarem durante a programação, realizado sob todos os protocolos de higiene e distanciamento social.

 

A imagem peregrina percorreu os nove andares do hospital, passando pelos consultórios, ambulatórios e leitos clínicos. A primeira parada foi na pediatria da unidade. Mães e filhos ficaram comovidos com a presença da imagem. “Nossa santinha é mãe de Jesus e sabe a dor de ver o seu filho doente, sofrendo. Hoje ela veio nos abençoar e tocar na saúde de todos nós”, frisou Rosana Alves, de 65, avó da pequena Isabela Alves, de 3 anos.

 

Ao carregar a imagem de santa, Shamira Resques, supervisora do Pronto-Socorro pediátrico e adulto do HRAS, acredita que a visita vem como forma de restabelecer a fé dos enfermos. “Nossa Senhora traz paz, amor e esperança de dias melhores. Em um hospital, essa mensagem vem confortar os doentes, os seus acompanhantes e, mais ainda, as mães que estão acompanhando os seus filhos doentes. Hoje recebemos renovação”, contou a enfermeira.

 

Ao chegar no sétimo andar, a visita da imagem da santa surpreendeu a aposentada Iraci Rodrigues da Silva, que está internada na unidade há 15 dias, em decorrência de uma lesão vascular no pé esquerdo. Entre lágrimas e com poucas palavras, ela descreveu o momento. “Eu pedi à enfermeira para trazer a Nossa Senhora aqui no leito. Ela veio me abençoar, eu sei”, disse. Outro paciente que ficou emocionado foi Carlos Alberto, que faz hemodiálise na unidade. “Sabemos que a fé move montanhas e nossa mãezinha vem nos abençoar. Creio no poder e no milagre”, afirmou.

 

Espera – Às proximidades da quadra nazarena, os colaboradores da unidade já aguardam a visita da imagem peregrina. “Em Belém, a peregrinação da Nossa Senhora de Nazaré já se tornou um ato cultural nas instituições. No Abelardo Santos, esse momento já é esperado por todos. Percebemos no semblante das pessoas a felicidade de estar junto à imagem, de tocá-la, de ser agraciadas por este momento, em especial. Trazer a imagem em uma breve visita aos nossos usuários e colaboradores, é mais que um ato religioso, e, sim, uma programação de fé e força a todos nós”, descreveu Marcos Silveira, diretor executivo do Abelardo Santos.

 

Mensagem- Durante a programação, o padre Glaucon Feitosa, o pároco Adalberto Brandão da Paróquia Nossa Senhora de Fátima, em Icoaraci, entoaram louvores e preces aos enfermos e colaboradores. “Maria é mãe da igreja, ela é anunciadora do evangelho de Cristo. Estamos aqui no ‘ide’, em levar às pessoas a mensagem de Deus. A ela, entoamos louvores, à nossa querida mãe. Viva Nossa Senhora de Nazaré, Viva a Cristo”, entoou Glauco Feitosa.

 

Após a peregrinação na unidade, uma celebração foi feita aos colaboradores, encerrando a programação que levou uma hora. Eventos religiosos e ecumênicos, são realizados com frequência no HRAS, como forma de esperança e conforto aos usuários e aos colaboradores.

 

Círio 2021 – A programação oficial do Círio 2021, pelo segundo ano, deve acontecer com peregrinações em formatos diferentes por conta da pandemia, sem romarias e com a imagem sendo levada em carro do Corpo de Bombeiros pelas ruas de Belém.

 

Texto: Roberta Paraense (Ascom/HRAS)