Palestras a servidores da Sespa alertam sobre prevenção ao suicídio

Palestras a servidores da Sespa alertam sobre prevenção ao suicídio

21 de setembro de 2021 Off Por Mozart Lira

Abertura da roda de conversa “Prevenção ao suicídio: a gentileza no cuidado”

Gestos como o sorriso, uma saudação e palavras de incentivos estiveram entre os assuntos debatidos na roda de conversa “Suicídio: a gentileza do cuidado”, realizada nesta terça-feira, 21, em alusão à campanha “Setembro Amarelo”, mês de intensificação à conscientização sobre saúde mental.

A programação foi voltada aos servidores da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), mediante realização da Diretoria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde, por meio da Gerência de Atenção ao Trabalhador (GAT).

A diretora de Políticas de Atenção Integral à Saúde da Sespa, Laena Reis (à esquerda), e a coordenadora  de Saúde Mental da Secretaria, Ildeney Moraes.

Segundo o secretário de Saúde do Pará, Rômulo Rodovalho, a programação teve como finalidade levar mais conhecimento sobre medidas e temas que possam prevenir o suicídio, de forma a identificar comportamentos e permitir a oferta imediata de ajuda. “Estamos sempre a postos para ajudar o servidor da Sespa que esteja com dificuldade em buscar auxílio para questões de ordem mental. É um assunto que temos que tocar, tomar as devidas providências para que sejam ouvidos e acolhidos nas suas demandas”, declarou.

O secretário adjunto de políticas públicas, Sipriano Ferraz,  falou sobre a importância em falar e debater sobre o tema para que os servidores saibam como prevenir questões máximas de sofrimento, sobretudo nesta época de pandemia, em que os profissionais de saúde assumiram o protagonismo de cuidar e dar assistência a u mtas pessoas ao mesmo tempo. “Falar de saúde mental torna-se essencial e estratégico”, disse Sipriano.

Nesse sentido, a diretora de Políticas de Atenção Integral à Saúde da Sespa, Laena Reis, ressaltou que a campanha “Setembro Amarelo” abrange também os que cuidam da saúde da população. “Vivemos dias em que precisamos estar mais próximos, nos importar com o outro, seja dando um bom dia e uma saudação mais afetuosa. E estamos atentos aos nossos servidores e aos sinais que eles não dão”, destacou.

Vaneuza Miranda, gerente da GAT, ao centro

Para a coordenadora de Saúde Mental da Sespa, Ildeney Moraes, atitudes como saber identificar e lidar com as emoções são fundamentais para o trabalhador de saúde. “Um dos objetivos aqui é lembrar ao servidor que nós, gestores, nos importamos com o que ele sente, sobretudo nessa vivência de isolamento que a pandemia ainda está nos impondo. Estamos aqui para ajudar, a quem quer que seja, os que identificam seus sentimentos e precisam de ajuda para ter esclarecimento, acompanhamento, se for o caso”, completou.

A diretora de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde da Sespa, Kelly Silveira

A diretora de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde da Sespa, Kelly Silveira, destacou sobre a importância dos servidores acionarem suas respectivas redes de apoio, pois é fundamental falar com quem se tem confiança. “Ter uma rede significa dividir sofrimento e pequenas dores do cotidiano. Não é falar com qualquer um, mas sim abrir sentimentos para pessoas com relevância na vida de cada um, que pode ser um irmão, irmã, vizinho, amigo ou colega de trabalho”, explica Kelly, ao se referir sobre a empatia e a importância de colocar-se no lugar do outro e não estigmatizar quem precisa de cuidado. “Somos todos humanos, ora cuidamos e ora precisamos de cuidados”, complementou.

A atividade ocorreu no auditório da Sespa durante a terça-feira, 21 de setembro

Segundo Vaneuza Miranda, gerente da GAT, o tema Saúde Mental é de extrema importância, pois aproximadamente 20% das licenças e afastamentos de servidores da Sespa tiveram como causa problemas ligados à saúde mental em 2020, só perdendo para as doenças osteomusculares. “Elaborar essa programação foi uma forma de dar, ao servidor, a oportunidade de ter acesso a esse assunto de forma mais aberta e transparente, auxiliando aqueles que têm necessidade de buscar ajuda médica e informações para tratamento adequado”, acrescentou.

A psicóloga da Gerência de Educação Permanente da Sespa, Kláudia Sadala

Durante a programação, a psicóloga da Gerência de Educação Permanente da Sespa, Kláudia Sadala, discorreu sobre o tema “A gentileza no cuidado: escutando sentimentos e reconstruindo laços”. Para ela, prevenir o suicídio é superar barreiras e tabus e estar perto das pessoas que precisam de um diálogo.

A programação incluiu ainda temas como “Atividade física na promoção da saúde mental”, com Walder Rezende, técnico em Educação Física da GAT; “As relações de trabalho”, com Ana Maria Xavier, Aristolina Araújo e Nayara Macedo, assistentes sociais e psicóloga da GAT, e Kláudia Sadala, psicóloga da GEP; “O poder dos alimentos na saúde emocional”, com Valéria Menezes e Maria Matos, nutricionistas da GAT, e “A gentileza no cuidado: infância, adolescência e velhice”, com Helio Franco, médico da Coordenação da Saúde da Criança; Michele Bispo, psicóloga da Coordenação de Saúde do Adolescente; Aline Pinto e Eneida Horta, respectivamente psicóloga e enfermeira da GAT.

 

Fotos: Mozart Lira (Ascom/Sespa)