Sespa alinha ações e metas em encontro com gestores de hospitais regionais e contratualizados

Sespa alinha ações e metas em encontro com gestores de hospitais regionais e contratualizados

4 de novembro de 2021 Off Por Mozart Lira

Fotos de José Pantoja (Ascom/Sespa)

Aconteceu nesta quinta-feira, 04, em Belém, o primeiro Encontro de Gestores dos Hospitais Regionais e Contratualizados, realizado pela Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), com o objetivo de compartilhar experiências, priorizar atividades assistenciais internas, padronizar serviços e atendimentos, avaliar produção hospitalar e planejar as ações para aperfeiçoar o atendimento ao usuário do Sistema Único de Saúde (SUS) em todas as regiões do Pará.

Secretário de Saúde do Pará, Rômulo Rodovalho

Durante a abertura, o secretário de Estado de Saúde Pública, Rômulo Rodovalho, destacou a importância de reunir as direções dos hospitais regionais e dos conveniados ao SUS para o alinhamento das metas de políticas públicas de saúde, que se tornaram mais desafiadoras com as duas ondas da pandemia do novo coronavírus. “Aproveito para agradecer o empenho de todos, porque sem a participação dos hospitais seriam inviáveis as realizações do Governo do Estado, por meio da Sespa, que beneficiaram a população pelo menos nesses últimos 13 meses”, observou.

O titular da Sespa lembrou também que, embora todos estejam no mesmo Estado, há diferenças traçadas por regiões de logística e por atuação. “Então é de suma importância o debate e a troca de experiências, pois precisamos dessa integração porque o bom relacionamento entre os nossos hospitais oportuniza melhorias nos serviços entregues à população”, avaliou.

Para o secretário adjunto de Gestão Administrativa, Ariel Sampaio, o encontro foi importante para dar resolutividade às situações de cada unidade hospitalar e dialogar sobre as experiências administrativas. “Devo dizer que a Sespa está em dia com os hospitais regionais e conveniados e que estamos cada vez mais empenhados, como contratantes, em cobrar a resolutividade de todos os envolvidos porque a população não tem muito a esperar”, afirmou.

Secretário Ariel Sampaio destacou também que a Sespa tem mantido o empenho de disponibilizar soluções integradas em favor da agilidade do atendimento com rastreabilidade e resolutividade, alinhadas à tramitação de documentos pelo Processo Administrativo Eletrônico (PAE), plataforma on-line desenvolvida pela Empresa de Tecnologia da Informação e Comunicação do Estado do Pará (Prodepa), com o apoio da Secretaria de Estado de Planejamento e Administração (Seplad), que substituiu processos físicos por eletrônicos, e objetiva tanto melhorar a qualidade da administração pública, integrando diversos serviços em um único ambiente virtual, como também reduzir custos com papéis, insumos de impressão e até combustíveis, que antes eram utilizados nos veículos que transportavam esses documentos entre os órgãos. “Para a Sespa, está sendo uma medida que tem que melhorado a experiência da população com os serviços de saúde”, afirmou.

Secretário adjunto de Saúde da Sespa, Sipriano Ferraz

Ao discorrer sobre o cenário atual do SUS do Pará, o secretário adjunto de Políticas de Saúde, Sipriano Ferraz, também falou sobre os resultados dos programas implementados pela Secretaria e que tem contado com a participação decisiva dos hospitais. “Com a melhora dos índices da Covid-19 no Estado, estamos prosseguindo com os projetos que iniciamos no ano passado e um deles é o de continuar disponibilizando portas abertas em ortopedia por todo o Pará. Já estamos com seis hospitais que já adotaram esse fluxo de atendimento e o objetivo é chegar a todos os pontos do Estado”, destacou.

Sipriano se referiu também ao Projeto Fila Zero, que tem trazido bons resultados com a criação dos programas “Obesidade Zero”, “Doenças ortopédicas da infância”, “Pré-operatório rápido” e “Triagem Pós-Covid”, que surgiram a partir da identificação dos principais gargalos no acesso da população a cirurgias e internações.

Segundo o secretário adjunto, a intenção da Sespa é continuar dando atenção ao combate das sequelas da Covid-19 e amenizar as filas que foram relacionadas às consultas, cirurgias e atendimento médico que ficaram reprimidas, devido à atenção dada à pandemia.

“São resultados que refletem o quanto o SUS é essencial, já que 90% da população do Pará é desprovida de plano privado de saúde”, destaca Sipriano, ao alertar os diretores de hospitais que os desafios continuarão, seja para atender cirurgias eletivas e diagnósticos represados de câncer, como para lidar com as doenças cardiovasculares, agravadas por fatores que despontaram ainda mais com a pandemia, como sedentarismo, tabagismo, dietas inadequadas, álcool em excesso, pressão alta e diabetes.

Sipriano Ferraz também lembrou que o Pará tem sido um dos quatro Estados com menor número de óbitos por Covid-19 por um milhão de habitantes e que atualmente o número de casos da doença já atinge os patamares mais baixos desde o início da pandemia, também em função dos esforços empreendidos pelo governo estadual em vacinar a população. “O que vivemos agora é o reflexo do esforço que todos já fizemos e que continuaremos a fazer, sempre com metas, entrega de resultados e feedback junto à população. E esse encontro é uma oportunidade de alinharmos ainda mais os discursos internos e resgatar momentos pendentes”, ressaltou.