Único em operação, Hospital de Campanha de Santarém está com baixa demanda

Único em operação, Hospital de Campanha de Santarém está com baixa demanda

19 de outubro de 2021 Off Por Roberta Vilanova

Das 60 vagas disponíveis, apenas nove pacientes estão internados em leitos clínicos

O Hospital de Campanha de Santarém, no Baixo Amazonas, já registrou 802 pacientes atendidos desde 18 de fevereiro deste ano, quando foi ativado na Escola Estadual Maria Uchoa Martins, localizada no bairro Floresta, a 800 metros de distância do Hospital Regional do Baixo Amazonas. Das 60 vagas disponíveis, apenas nove pacientes estão internados em leitos clínicos (25% de ocupação) e quatro em estabilização (100% de ocupação).

José Ribamar Pereira Júnior, 49 anos, é policial militar e mora em Itaituba. Recentemente, esteve em Santarém quando sentiu os sintomas da Covid-19. Primeiramente, buscou ajuda na Unidade de Pronto Atendimento da cidade, mas diante de um quadro considerado grave da doença, foi encaminhado para o Hospital de Campanha da cidade. Ele ficou internado por oito dias, tendo alta na manhã desta segunda-feira (18).

“Quanto ao atendimento, foi da melhor qualidade, sempre prontos a ajudar, fazendo o melhor. A humanização é essencial que se fale, pois foi o que me deixou mais seguro naquele ambiente. Eu confiei na equipe. Quando cheguei, fui logo para a sala para aumentar a capacidade respiratória, preocupação por parte dos colaboradores na busca positiva de resultados, equipamentos ótimos, mas que só surtiram efeito por conta dos excelentes profissionais que atuam por trás deles”, destacou o ex-paciente.

Desde que foi entregue há oito meses, o Hospital de Campanha de Santarém já recebeu 802 pacientes, dos quais 656 tiveram alta médica, 119 foram transferidos para outras unidades e 14 foram a óbito. Encontram-se internados 09 pacientes em leitos clínicos e outros 04 em leitos de estabilização.

A unidade temporária conta com 07 enfermarias, com 07 leitos cada; uma enfermaria com 16 leitos; uma sala de estabilização, com 4 leitos; posto de enfermagem; farmácia; almoxarifado; estar médico e de enfermagem; uma sala do Núcleo Interno de Regulação; necrotério; sala de paramentação; refeitório; cozinha; administrativo; vestiários femininos e masculinos; descanso equipe; faturamento; departamento pessoal; expurgo; psicossocial e resíduos.

Com a desativação do Hospital do Hangar em Belém, Santarém é o único ainda em operação. “De cinco, hoje só temos um em funcionamento e com uma demanda baixa, mostra o quanto acertamos ao, lá no início, montarmos os hospitais de campanha como a retaguarda certa para atender os casos da pandemia. Conforme a vacinação vai avançando em todo o estado, a tendência é que, em breve, esta unidade também não precise mais funcionar”, anunciou o secretário de Estado de Saúde Pública (Sespa), Romulo Rodovalho.

Texto: Dayane Baía/Secom
Foto: Pedro Guerreiro/Ag. Pará