Hospital Abelardo Santos destaca 20 mil pacientes recuperados em dois anos de funcionamento

Hospital Abelardo Santos destaca 20 mil pacientes recuperados em dois anos de funcionamento

17 de setembro de 2021 Off Por Roberta Vilanova

Hospital Regional Abelardo Santos, que oferece serviços de média e alta complexidade na Região Metropolitana de Belém

No próximo domingo (19), o Hospital Regional Dr. Abelardo Santos (HRAS), no distrito de Icoaraci, em Belém, completa dois anos de inauguração. Ao longo deste período, expressivas marcas foram registradas pela unidade, principalmente as vidas salvas. O trabalho intenso e estratégico do Governo do Pará permitiu que 20 mil pessoas voltassem recuperadas para casa, após tratamento no maior hospital público da rede estadual de saúde.

Ao longo desse período de funcionamento, o Hospital já registrou milhares de histórias de pacientes. Uma delas é da menina Thalita Lima, 11 anos, que ficou 35 dias deitada no leito até dar os primeiros passos, em função das fortes dores nos membros inferiores, provocadas por inflamação no nervo ciático. Os movimentos retomaram ao compasso de uma valsa, entre ela e seu fisioterapeuta, Rafael Antônio, na reta final da internação. O episódio foi gravado a pedido da paciente. “Eu sou a princesa e ele (fisioterapeuta) é meu príncipe. Foi isso que ele me disse desde que passou a fazer fisioterapia. Tinha muitas dores, não andava, mas o Lucas, todos os dias, contava uma história pra mim, até que o deixei tocar na minha coxa”, lembrou Thalita, que saiu hospital de motocicleta.

Equipe de profissionais empenhados em salvar vidas e contribuir para histórias com final feliz

O assessor de Relacionamentos Esdras Nascimento Biagi, 44 anos, teve 85% do pulmão comprometido pela Covid-19 e ficou 30 dias internado neste ano, sendo 15 deles na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Em sua alta médica, ele foi homenageado com festa. “Ter visto meus amigos, os profissionais que me acompanharam e a minha família na hora da minha saída foi emocionante, após vencer a Covid, no Hospital Abelardo Santos”, contou Esdras.

Em reconhecimento aos profissionais que fazem a unidade funcionar nas 24 horas, nesta sexta-feira a direção da unidade promoveu uma celebração interna com os funcionários.

Quem disse se sentir honrada com a comemoração foi a supervisora do Núcleo Interno de Regulação (NIR), Ellen Figueiredo, 44 anos, que na ocasião foi escolhida para falar em nome dos colegas. “Trabalho aqui desde a inauguração. Passei pelas duas ondas da pandemia. Os sentimentos que me definem nessa celebração são emoção, gratidão, aprendizados e conquistas. Eu amo trabalhar aqui e ajudar a salvar vidas”, declarou.

Profissionais em frente ao Hospital Abelardo Santos, instituição que já se tornou referência em atendimento na rede pública

Gratidão – A técnica em Enfermagem Maria Estelita Araújo, 51 anos, relembrou a época de pico da pandemia. “É muito gratificante trabalhar aqui, apoiar quem precisa. Nossa atuação nas duas ondas da Covid me marcou muito. Fomos praticamente a segunda família dos pacientes que ficaram internados no ‘Abelardo’. Me realizo trabalhando no HRAS”, frisou.

Para o diretor executivo do Regional Abelardo Santos, Marcos Silveira, os dois anos de funcionamento da unidade devem ser comemorados por toda a sociedade paraense. “Estratégico na alta complexidade, o HRAS, mesmo com relativamente pouco tempo de funcionamento, registra uma trajetória intensa. A unidade é geradora de mais de 1.400 empregos diretos, ou seja, é uma potência em gerar emprego e renda na Região Metropolitana de Belém. Na assistência, já foram realizadas 22.300 sessões de hemodiálise tradicional, mais de 70 mil consultas ambulatoriais, mais de 1 milhão de exames de imagens e laboratoriais, 9 mil cirurgias, 6 mil partos. Estes são alguns indicadores que apontam o mega serviço que é fornecido aos pacientes, de forma humanizada e assertiva”, disse o gestor da unidade.

A data teve bolo comemorativo

Pandemia – O HRAS também foi estratégico no atendimento a pacientes com a Covid-19 no pico da doença no Pará. O Hospital ganhou, inclusive, reconhecimento nacional, no mês passado, ao levar toda a gama de experiências adquiridas na pandemia e os resultados positivos no combate à Covid-19 a outros hospitais do Brasil. A unidade paraense foi incluída no Projeto Reab Pós-Covid-19, do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (Proadi-SUS), devido à sua representação diante dos cuidados com os pacientes infectados pelo novo coronavírus.

“Desde a sua inauguração, até hoje, o HRAS tem sido coringa para o acolhimento na saúde pública do Estado. Hospital de alta complexidade, é referência no tratamento da Covid-19, por decisão do governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa). Durante a pandemia, tivemos períodos de mudanças no seu perfil de atendimento especializado, para o atendimento exclusivo à Covid-19. Em 2021, a unidade operou com 65% da sua capacidade no acolhimento à doença, com 95 leitos de UTI e 125 clínicos, totalizando 220. Apenas este ano, a unidade liberou mais de 700 pacientes que tiveram Covid para casa”, destacou Rômulo Rodovalho, secretário de Estado de Saúde Pública.

RELEMBRE

– Em dezembro de 2018 o Hospital Regional Dr. Abelardo Santos havia sido entregue e deveria iniciar suas atividades. Mas no dia 3 de janeiro de 2019, o governador Helder Barbalho vistoriou as obras na unidade e constatou que vários serviços ainda precisavam ser executados.

– Mesmo após seis anos, ainda faltavam à época ser instalados geradores de energia; o centro de esterilização de materiais; a farmácia hospitalar e outras instalações de infraestrutura indispensáveis ao funcionamento do Hospital.

– Na primeira fase foram implantados 269 leitos. O Hospital também passou a atender urgência e emergência em Obstetrícia no regime de porta aberta, e urgência e emergência referenciada por outros serviços de saúde (Prontos-Socorros e Unidades de Pronto Atendimento) em Pediatria, Clínica Cirúrgica e Clínica Médica.

– Na segunda etapa, outros serviços foram disponibilizados, como raio-X, Tomografia, Mamografia, Ultrassom e exames laboratoriais, consultas eletivas em pediatria clínica e médica e ginecologia e obstetrícia para pacientes externos regulados pela Central Estadual.

– Na fase seguinte, o HRAS passou a oferecer o Serviço de Nefrologia, com máquinas de hemodiálise em três turnos, além de suporte hospitalar 24 h para intercorrências de pacientes renais crônicos, e também o Serviço de Urologia Clínica e Cirúrgica.

– Atualmente, o HRAS tem 340 leitos, entre de UTI e Clínicos (pediátricos e adultos), atendendo a 12 especialidades médicas, com o serviço da equipe multiprofissional, entre elas hidroterapia, que realiza 20 tipos de exames de imagem e dispõe de 350 especificações para solicitação de diagnósticos laboratoriais. O HRAS também é porta-aberta 24 h para Pediatria, Ginecologia e Obstetrícia. Pactuado com a Sespa, a unidade conta com serviços de ponta, como cirurgias na hemodinâmica.

Texto: Roberta Paraense/HRAS

Fotos: Diovulgação