Hospital do Baixo Amazonas destaca o autocuidado para pacientes de diálise

Hospital do Baixo Amazonas destaca o autocuidado para pacientes de diálise

20 de agosto de 2021 Off Por Roberta Vilanova

Uma equipe multiprofissional realiza a ação com pacientes renais crônicos

A equipe multiprofissional que atua no Centro de Terapia Renal Substitutiva (CTRS) do Hospital Regional do Baixo Amazonas (HRBA), em Santarém, promoveu uma atividade especial sobre a importância do autocuidado no tratamento dos pacientes renais crônicos que estão em hemodiálise. Médicos, psicólogos, assistentes sociais, nutricionistas, farmacêuticos e equipe de enfermagem participaram da ação interdisciplinar.

A iniciativa do grupo de apoio e orientação, liderado por psicólogas do setor Psicossocial, realiza ações mensais com o objetivo de trabalhar questões emocionais que surgem durante o tratamento do paciente renal, promovendo bem-estar, esclarecendo dúvidas e aproximando o paciente dos profissionais.

“O grupo promove a reflexão da importância do paciente se ajudar no tratamento, de fazê-lo ter atitudes que podem minimizar o sofrimento durante esse processo, e contribuir para o próprio bem-estar, melhorando os resultados dos exames”, explica a psicóloga Ádria Santos, do setor de Nefrologia do HRBA.

Confira algumas dicas para o autocuidado de pacientes 

– Entender que ele também é responsável pelo tratamento;

– Prática de atividades que contribuem para a saúde mental;

– Conhecer os tipos de alimentos que podem integrar a dieta;

– Ter cuidado com a ingestão de líquidos, pois há restrições;

– Identificar os medicamentos que podem ser ingeridos e as formas de armazenamento;

– Conhecer os direitos e deveres enquanto paciente renal crônico;

– Higienização de fístulas e cateter (dispositivos utilizados para realização do tratamento);

– Conhecer os próprios limites e respeitá-los.

Paciente Cláudio de Souza Soares durante sessão de hemodiálise

Cláudio de Souza Soares, de 62 anos, realiza hemodiálise há 3 anos. Para ele, a rotina às vezes é desgastante, mas entende a importância do tratamento e, principalmente, do autocuidado. “É de grande importância ver todos os profissionais aqui com a gente, esclarecendo, dizendo o que podemos fazer, nos ouvindo. Tem alguns colegas que levam uma vida normal e não levam os cuidados a sério”, compartilha.

De acordo com a psicóloga Ádria, quando o paciente renal crônico não é adepto ao autocuidado o tratamento pode ficar comprometido, trazendo implicações para o quadro clínico, bem-estar e para a saúde mental.

“É um paciente que precisa estar no hospital três vezes por semana, durante quatro horas, então precisamos estimular ele a perceber que pode sim, ter autonomia, o que fará ele se sentir melhor e ter o mínimo de qualidade de vida”, ressalta a profissional.

Atendendo a uma população estimada em mais de 1,3 milhão de pessoas, residentes em 30 municípios, o HRBA é uma unidade de referência em Terapia Renal Substitutiva no Oeste do Pará. O hospital pertence ao Governo do Estado, sendo gerenciado pela entidade filantrópica Pró-Saúde.

O Regional do Baixo do Amazonas atende em média 200 pacientes em hemodiálise, 35 em diálise peritoneal (realizado na casa do paciente) e, ainda, é uma unidade credenciada para realização de transplantes de rins desde 2016.

“Esses momentos reforçam a missão do Governo do Pará e da Pró-Saúde, que é a busca por melhoria contínua com foco na assistência à saúde do paciente. Entendemos que quanto mais informações acerca da doença, maior é a participação do paciente no tratamento e no autocuidado”, destaca o médico Emanuel Esposito, responsável técnico pelo Serviço de Nefrologia do HRBA.

O médico complementa que “a interação com a equipe multiprofissional faz o usuário perceber que o serviço é disponibilizado para eles em prol da resolutividade dos casos e na busca de qualidade de vida”.

Durante as intervenções, as psicólogas realizam terapia com utilização de músicas e temáticas relevantes ao tratamento. O próximo assunto abordado no setor de Hemodiálise será a prevenção ao suicídio e a saúde mental.

Além da Hemodiálise, o grupo de apoio e orientação do Psicossocial atua em outros setores da unidade, na assistência aos pacientes e acompanhantes.

Texto: Anna Karla Lima

Fotos: Ascom/HRBA