Hospital Oncológico Infantil incentiva doação de sangue e medula óssea

Hospital Oncológico Infantil incentiva doação de sangue e medula óssea

12 de novembro de 2021 Off Por Roberta Vilanova

Uma unidade móvel do Hemopa ficará em frente ao Hospital Oncológico para receber doadores

“Estamos com o estoque muito baixo de bolsas de sangue. Para que as crianças e adolescentes continuem lutando pela vida e contra o câncer, contamos com o nobre sentimento de solidariedade da população”, informa o coordenador da Agência Transfusional do Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo, em Belém, Márcio Moraes.

A unidade, que é referência no Norte do País para atendimento oncopediátrico, realizará no dia 19 de novembro, próxima sexta-feira, uma Campanha de Doação de Sangue e Cadastro de Medula Óssea, em parceria com a Fundação Centro de Hemoterapia e Hematologia do Pará (Hemopa).

Desde 2016, o Hospital Oncológico desenvolve a campanha de incentivo à doação com o tema “Quando você doa sangue, a brincadeira continua”. Este ano, a iniciativa conta com a presença da Unidade Móvel do Hemopa, que estará em frente ao Hospital Oncológico Infantil, e receberá os doadores das 8 às 16h.

O Hospital Oncológico Infantil é uma unidade de referência no diagnóstico e tratamento especializado de câncer infantojuvenil. Prestando atendimento 100% gratuito, via Sistema Único de Saúde (SUS), integra a rede de saúde pública do Governo do Pará, e é administrado pela entidade filantrópica Pró-Saúde.

Dados do Ministério da Saúde apontam que apenas 1,8% da população brasileira doa sangue. Segundo o órgão federal, o ideal seria que esse índice subisse para, pelo menos, 3%. Com apenas uma doação de sangue é possível beneficiar de três a quatro pessoas, já que o sangue doado é dividido em diferentes componentes (hemácias, plasma, plaquetas e crioprecipitado).

A doação voluntária é fundamental para manter os estoques de sangue e o cadastro de medula óssea

Mais doações – Para a enfermeira Isis Souza, da Agência Transfusional do “Oncológico Infantil”, a crise sanitária provocada pela Covid-19 influenciou na baixa do estoque de bolsas de sangue. “O período pandêmico interferiu diretamente no número de doações. Para a nossa realidade, aqui no Hospital, o ideal seria em média 200 doações de sangue por mês. Isto garantiria certo conforto na nossa rotina de trabalho transfusional”, afirmou a enfermeira.

“A solidariedade da população é essencial para ajudar a salvar vidas, visto que o sangue não tem nenhum substituto”, reforçou Márcio Moraes.

Medula Óssea – Os doadores que farão a coleta de sangue terão seus dados pessoais cadastrados pela Fundação Hemopa. O banco de dados do Estado do Pará conta com 136 mil voluntários, e é integrado a bases de informações do Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redome).

A pessoa cadastrada no Redome pode ser voluntária para doação de medula óssea, caso identificada a compatibilidade com algum paciente que esteja necessitando do transplante.

Quem pode doar – Para doar sangue basta ter boa saúde, idade entre 16 e 69 anos (menores devem estar acompanhados do responsável legal) e pesar mais de 50 kg. É indispensável a apresentação de documentos originais com foto (RG, CNH ou Carteira Profissional).

Uma bolsa de sangue tem hemocomponentes que podem atender até quatro pacientes

Cada bolsa de sangue pode salvar até quatro vidas, pois o sangue doado é fracionado nos hemocomponentes que são usados continuamente no tratamento oncológico, atuando em funções como a recomposição do sistema de defesa do organismo, fragilizado pelo tratamento quimioterápico.

Quem não puder comparecer à Unidade Móvel no dia 19 de novembro pode se dirigir à sede da Fundação Hemopa e informar que a doação do sangue é para o Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo, cujo código é 1766. Os horários de atendimento estão disponíveis no site da instituição.

Serviço: Campanha de doação de sangue e cadastro de medula óssea promovida pelo Hospital Oncológico Infantil e Fundação Hemopa. Sexta-feira, 19 de novembro, das 8 às 16 h, no Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo, na Travessa 14 de Março, nº 1394, esquina com a Avenida Magalhães Barata, Bairro São Brás.

Texto: Ascom/Hospital Oncológico

Fotos: Pedro Guerreiro/Ag. Pará