Regional da Transamazônica ressalta importância da presença da família na internação de bebês prematuros

Regional da Transamazônica ressalta importância da presença da família na internação de bebês prematuros

19 de novembro de 2021 Off Por Roberta Vilanova

A campanha Novembro Roxo é realizada anualmente para sensibilizar e chamar a atenção para a prematuridade. De acordo com o Ministério da Saúde, mais de 12% dos nascimentos no Brasil são de bebês prematuros, o equivalente a cerca de 340 mil crianças que nascem antes das 37 semanas de gestação.

Com o tema “separação zero”, o Hospital Regional Público da Transamazônica, unidade que pertence ao Governo do Pará e é gerenciada pela Pró-Saúde em Altamira, aderiu à campanha e alerta sobre a importância da presença da mãe no acompanhamento do bebê internado na unidade de saúde.

De acordo com a enfermeira neonatal, Cleidivânia Rosário, durante o período de internação dos bebês, as mães e pais das crianças possuem livre acesso à unidade, e esse contato da família com os pequenos é incentivado e orientado pelas equipes assistenciais.

“Sempre que recebemos um novo paciente, a família é informada sobre a importância da presença deles aqui. Orientamos sobre o contato, a ação de pegar o bebê no colo e fazer com que ele sinta o calor da mãe, tudo isso é de suma importância até para a própria recuperação dele”, explica a enfermeira.

O pequeno Kairos Nascimento, de apenas três meses, conhece bem essa ligação de afeto com a mamãe, a servidora pública Neia Nascimento, de 27 anos. Ele nasceu prematuro de 36 semanas e, por ter nascido com desconforto respiratório, precisou ser internado no HRPT para receber tratamentos intensivos.

“Quando o Kairos ficou internado no Regional, ele ainda não mamava, mas com as orientações e auxílio da equipe, ele foi pegando aos poucos. Fiquei diariamente acompanhando a internação dele, vendo cada conquista. No início, ficamos apreensivos, mas depois que ele recebeu alta, foi um alívio”, conta Neia.

Para focar cada vez mais a atenção no cuidado com os bebês prematuros, o Grupo de Atenção Multidisciplinar Materno-Infantil (GAMMI) do HRPT fomenta constantemente o diálogo sobre o tema por meio de ações informativas, palestras e oficinas de cuidados e amamentação.

O grupo reúne profissionais de várias especialidades, entre eles médicos, enfermeiros, fonoaudiólogos, terapeuta ocupacional, psicólogo, nutricionista e assistente social.

Tipos de prematuridade – De acordo com o pediatra do HRPT, Dr. Sebastião Júnior, existem três níveis de prematuridade: prematuro extremo, intermediário e o tardio. “Prematuro é aquele bebê que nasce antes de completar as 37 semanas de gestação. Os prematuros extremos nascem antes das 28 semanas, os intermediários, entre 28 e 34 semanas, e o tardio, de 34 até 37”, explica.

Além disso, o médico alerta sobre situações durante a gravidez que podem ocasionar a prematuridade, como diabetes gestacional, descolamento prematuro da placenta, infecções, miomas, tabagismo, entre outros. “Esta campanha foi criada tanto para reforçar a necessidade dessa atenção que o prematuro precisa quanto conscientizar a sociedade em geral, de que a prematuridade pode ser evitada”, explica o médico.

O Regional da Transamazônica é o único da região do Xingu que possui Unidade de Tratamento Intensivo Neonatal e UTI Infantil. A unidade é reconhecida nacionalmente entre os melhores hospitais públicos do Brasil e possui a certificação ONA 3 Acreditado com Excelência, concedido pela Organização Nacional de Acreditação (ONA), reconhecimento que atesta a qualidade dos serviços prestados à população no interior do Pará.
Texto: Karine Sued de Oliveira/HRPT

Foto: Divulgação